ache aqui

google.com, pub-0465069744057450, DIRECT, f08c47fec0942fa0
Mostrando postagens com marcador saude no brasil. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saude no brasil. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Tratamento Natural Da Síndrome Do Intestino Irritável


----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------Ao notar sintomas da síndrome do intestino irritável é fundamental procurar orientação médica para iniciar o tratamento mais indicado.
Alguns tratamentos naturais também podem ajudar a melhorar os sintomas do problema.
  1. Evite Alérgenos Comuns e Alimentos Inflamatórios
Embora cada pessoa tenha reações diferentes a vários alimentos, certos alimentos tendem a desencadear sintomas da síndrome do intestino irritável mais do que outros.
Isto é especialmente verdadeiro em relação a alguns carboidratos, cujas pesquisas mostram que são comumente não absorvidos no intestino e se tornam fermentado, o que pode causar problemas gastrointestinais significativos (5).
As reações à fibra também são diversas, às vezes elas ajudam a aliviar a constipação, mas outras vezes causam gás e dores.
Alguns alimentos que você deve cortar da sua dieta para aliviar os sintomas da síndrome do intestino irritável incluem:
  •         Lácteos convencionais pasteurizados;
  •         Glúten (trigo, cevada, centeio);
  •         Açúcar e farinha refinada;
  •         Cafeína e álcool
  •         Alérgenos comuns, incluindo nozes e mariscos;
  •         Alimentos picantes;
  •         Certos grãos, legumes e frutas, como maçãs, frutas de caroço, alho e brócolis.
  1. Reduzir o estresse
Níveis mais elevados de estresse estão ligados a distúrbios na digestão, pois o estresse aumenta a inflamação no organismo.
Estudos descobriram que a ansiedade, depressão, transtornos de personalidade e histórico de abuso sexual na infância são todos fatores de risco para a síndrome do intestino irritável. Mas mesmo o estresse causado a partir de situações cotidianas, como o trabalho ou as obrigações familiares, pode afetar a digestão (6).
O que você pode fazer para diminuir o estresse? Exercício, meditação, acupuntura, passar mais tempo na natureza e manter hobbies.
  1. Atividade Física
Estudos descobriram que o exercício regular (incluindo aeróbico, levantamento de pesos, ou ioga) ajuda a controlar o estresse e pode melhorar a saúde digestiva.
Um estudo de 2011 publicado no American Journal of Gastroenterology descobriu que o aumento da atividade física melhora os sintomas gastrointestinais e a qualidade de vida (7).

Causas Da Síndrome Do Intestino Irritável

Estudos mostram que as causas exatas da síndrome do intestino irritável são complexas e diferentes para cada pessoa, uma vez que muitos fatores na vida de alguém podem afetar a digestão (8).
Os pesquisadores acreditam que a causa subjacente dos sintomas da síndrome é o funcionamento anormal dos nervos, enzimas e músculos dentro do trato digestivo. Estes ajudam a controlar a absorção de nutrientes depois de comer, níveis de líquidos, gás e liberação de evacuações (9).
Um fator importante que determina como funciona o sistema digestivo é realmente seus níveis de estresse e humor, uma vez que o intestino está intimamente ligado ao cérebro. Estresse e digestão também estão diretamente relacionados porque o intestino é capaz de produzir, ou não produzir, certos neurotransmissores, como a serotonina (10).
Embora não haja uma causa específica, fatores comuns que contribuem para a síndrome do intestino irritável incluem:
>> Alimentos alérgenos;
>> Estresse crônico;
>> Casos de síndrome do intestino irritável na família;
>> Mudanças na rotina de sono;
>> Desequilíbrios ou alterações hormonais.

Diagnóstico Da Síndrome Do Intestino Irritável

A síndrome do intestino irritável é diferente de outros problemas digestivos, porque não há problemas estruturais nos intestinos de pessoas com essa condição (por exemplo, não existem bloqueios do cólon), o que dificulta o seu diagnóstico.
Não existem testes que possam revelar definitivamente se alguém tem síndrome do intestino irritável ou não (11). O diagnóstico só pode ser feito através de um processo de eliminação e observação de sintomas.
Os médicos muitas vezes gostam de discutir com os pacientes como os sintomas do IBS são desencadeados e também como eles tendem a desaparecer.
A síndrome do intestino irritável afeta mais de 10% da população mundial, sendo mais comum entre mulheres jovens.
Nenhum teste pode realmente confirmar se alguém tem ou não a síndrome, por isso é tão importante ficar atento aos sintomas. Alguns dos mais comuns incluem alterações nos movimentos intestinais normais, incluindo constipação e diarreia; dores abdominais, náusea, azia ou refluxo ácido.
Os sintomas não digestivos da síndrome do intestino irritável podem incluir ansiedade ou depressão, problemas para dormir, fadiga, dores de cabeça, gosto desagradável na boca, dores musculares, problemas sexuais, palpitações cardíacas e necessidade frequente de urinar.
Você pode tratar naturalmente os sintomas evitando alérgenos, reduzindo o estresse e praticando atividades físicas. Também recomendo que você retire o açúcar da sua alimentação. (Preencha o formulário abaixo para saber mais sobre os malefícios do açúcar)
Os fatores comuns que contribuem para a síndrome incluem sensibilidades alimentares e alergias, estresse, mudanças nas rotinas do sono e desequilíbrios ou alterações hormonais.
Caso você apresente os principais sintomas da síndrome do intestino irritável, procure orientação médica.
Para quem prefere, o conteúdo deste artigo está disponível também em vídeo a seguir. Basta dar o play!

quarta-feira, 17 de maio de 2017

PARTO -TOPICO

Parto Normal

Se o pré-natal é feito com regularidade e a gestante não apresenta nenhuma complicação durante os nove meses, este tipo de parto é uma opção válida. Nele, o bebê nasce no tempo correto e as contrações são aguardadas até o momento ideal para se dar à luz.
O parto normal acontece quando o bebê vem ao mundo pela vagina, podendo ocorrer uso de ocitocina (hormônio que estimula o trabalho de parto), anestesia e episiotomia (corte do períneo que facilita a saída do bebê).
A mamãe participa de todo os momentos do parto. A maioria dos hospitais também possuem técnicas para deixar a mãe mais tranquila e relaxada durante o parto.
A peridural e a ráqui são os dois anestésicos usados para esse tipo de parto, separadamente ou em uma combinação das duas, chamada de bloqueio duplo.
Uma das principais vantagens do parto normal é a recuperação imediata após efeito da anestesia.
Outra vantagem é o baixo risco de infecções e menor índice de complicações respiratórias para o bebê.
O risco presente nessa opção é a ruptura do útero, caso a mamãe tenha feito cirurgias anteriores.
No parto normal, a mamãe tem contato com o filho imediatamente após dar à luz!

Parto Natural

No parto natural, bastante confundido com o parto normal, não são realizadas intervenções com medicamentos e procedimentos, como corte do períneo ou anestesia de peridural ou ráqui. Nele, as necessidades da mulher são respeitadas e também deve ser acompanhado por um profissional da saúde.
Para realizar o parto natural são recomendados exercícios durante a gravidez para fortalecimento do períneo e musculatura da bacia.
Muitas mães que optam por esse tipo de parto preferem dar à luz em casa, na banheira, de cócoras ou mesmo na cama. Os mesmos métodos podem ser realizados em hospitais também.
Apesar de não sofrer intervenções, os riscos também estão presentes. Complicações na hora do parto podem acontecer exigindo outros métodos para o nascimento do bebê.
Se essa é uma de suas preferências, converse com seu médico para saber se é o indicado para sua gravidez.

Parto Humanizado

No Brasil há uma forte campanha pelo parto humanizado. Assim como no parto natural, as vontades da mãe são respeitadas.
Ela deve contar com o apoio de seu companheiro e, muitas vezes, conta com a doula, uma acompanhante profissional preparada para dar suporte (emocional, físico e informativo) à mulher durante a gestação e o parto .
O parto humanizado propõe a experiência total sobre o processo de dar à luz para a mãe, seu parceiro e o bebê que está chegando. A ideia é que a obstetrícia auxilie, mas não interfira no parto.

Cesárea

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 15% dos partos acabarão na mesa de cirurgia, ou seja, sendo cesárea.
No parto cirúrgico, a gestante recebe anestesia geral ou da cintura para baixo, a chamada peridural. Um corte com cerca de 20 centímetros é feito abaixo do umbigo até acima da vagina para retirada do filho.
A mamãe vê o bebê rapidamente e é sedada para finalização da cirurgia, enquanto o bebê fica na sala de pediatria neonatal sob observação.
Ao contrário do parto normal, a recuperação não acontece no mesmo dia. Após a cesárea, a mamãe deve tomar cuidados com a cicatrização. Problemas na bexiga e prisão de ventre podem ser um dos efeitos colaterais após a cirurgia.
Esse tipo de parto pode trazer riscos ao bebê, como complicações respiratórias ou gerar uma infecção hospitalar.
A cesárea deve ser a opção em casos de complicação no parto normal, ou se a gestante possui algum problema de saúde, como pressão alta ou diabetes.

Parto a Fórceps ou Parto por Vácuo Extrator

Nesse tipo de parto, um instrumento é usado para retirada do bebê quando ele está em sofrimento fetal ou a mãe não consegue fazer forças para a descida no canal vaginal.
No caso do fórceps, são ajustadas duas pás na cabeça do bebê e ele é puxado. No vácuo extrator, uma ventosa de metal ou silicone ligado a uma pequena bomba a vácuo é ajustada na cabeça do bebê.
No Brasil, o uso do fórceps não está entre as principais opções dos médicos, sendo utilizado apenas quando necessário em momentos de complicação do parto para ajudar na saída do bebê.

Parto na Água

O parto na água também acontece pelo canal vaginal e pode ser realizado no hospital ou em casa.
A mamãe se mantém posicionada em uma banheiro com água em temperatura de 36º, que pode trazer conforto e alívio.
Esse tipo de parto é acompanhado por médicos e auxiliares e não impede uso de medicação caso necessário, mas não é recomendado para as mulheres com diabetes ou pressão alta.
Os riscos são os mesmos encontrados no parto normal: o de ruptura do útero. A vantagem de recuperação rápida também se assemelha com o parto normal.

Parto de Cócoras

A diferença entre o parto normal e o de cócoras é apenas a posição, que permite mais conforto e alívio das dores para algumas mulheres.
Para esse tipo de parto de cócoras existe uma cadeira especial disponível para o apoio da mamãe e que também auxilia o obstetra durante o processo.
Nesse caso, o bebê deve estar posicionado e encaixado para que o parto ocorra tranquilamente. Em situações de risco, não é um dos tipos recomendados.
A saída do bebê acontece de maneira rápida devido a posição. Assim como no parto normal, a recuperação é rápida.
As opções são muitas, mas o que irá determinar o tipo de parto para a chegada do seu bebê será o seu pré-natal e sua conversa com o médico.
Tire todas as dúvidas com seu obstetra e se informe para que você fique tranquila para o momento mais esperado de sua vida: a hora de dar à luz!

quinta-feira, 27 de abril de 2017

listao alimentos COM e SEM Glúten

Lista de alimentos COM e SEM Glúten



Dizem os experientes na matéria, que as melhores dietas são aquelas que não contém glúten, mas o que muitas pessoas não sabem, é quais os alimentos que podem comer, e não podem comer, numa dieta sem glúten.

O que é o Glúten?

O Glúten é uma proteína, que é composta pela mistura de outras 2 proteínas: gliadina e glutenina.
Estas 2 proteínas podem ser encontradas nos mais diversos cereais, tais como: trigo, aveia, centeio e cevada!
Qualquer alimento que contenha um destes cereais, contém glúten, mesmo que seja em pequenas quantidades.

Lista de alimentos por ordem alfabética que contém glúten

Caso seja intolerante ao glúten, cuidado com os alimentos que come… Veja aqui nesta lista, os alimentos que contém glúten, e que caso não possa comer glúten, deve evitar:
  • Arroz Instantâneo;
  • Barrinhas de cereais;
  • Biscoito;
  • Bolacha;
  • Bolos;
  • Cachorro quente;
  • Caldo de carne;
  • Carnes empanadas;
  • Cereais;
  • Cerveja;
  • Cones de sorvete;
  • Cupcakes;
  • Curry em pó;
  • Donuts;
  • Gérmen de trigo;
  • Hambúrguer;
  • Hóstia da igreja;
  • Ketchup;
  • Macarrão;
  • Maionese;
  • Massas;
  • Massas de torta;
  • Molhos brancos;
  • Molho de soja;
  • Panquecas;
  • Pão;
  • Patê de carne;
  • Pizza;
  • Queijos (alguns);
  • Salgadinhos;
  • Salsicha;
  • Sêmola de trigo;
  • Shoyo;
  • Sopas desidratadas
  • Sorvetes;
  • Temperos industrializados;
  • Triguilho;
  • Torrada;
  • Xaropes e alguns remédios (fale com o seu médico para saber mais sobre medicamentos que contém glúten)
Basicamente todos os alimentos que contenham cereais, amido, trigo, etc, na sua composição! Atenção, muitos destes produtos já são vendidos no mercado, sem glúten! Leia com atenção o rótulo dos produtos que irá comprar, porque muitos deles não contém glúten

Depois de uma lista deste tamanho, a pergunta será: Então mas quais são os alimentos sem glúten?

Aqui tem a lista:

Lista de alimentos por ordem alfabética SEM glúten

Se não pode comer alimentos com glúten, tem aqui uma lista de alimentos sem glúten que pode obtar, constituida por: verduras, frutas e carnes.
Caso seja doente celíaco, a não ser que os outros alimentos tenham a indicação de que são livres de glúten, os alimentos que tem a certeza que não tem glúten são estes mesmo…

Frutas

No seu estado natural, as frutas não contém glúten, segue aqui a lista de frutas que pode comer sem problemas que não contém glúten.
  • Abacaxi
  • Açaí
  • Alfarroba
  • Ameixa
  • Amora
  • Banana
  • Caqui
  • Cereja
  • Cranberry
  • Damasco
  • Figo
  • Framboesa
  • Goiaba
  • Groselha
  • Kinkan
  • Kiwi
  • Laranja
  • Lima
  • Limão
  • Maçã
  • Mamão Papaia
  • Manga
  • Maracujá
  • Marmelo
  • Melancia
  • Melão
  • Meloa
  • Mexerica
  • Mirtilo
  • Morango
  • Pêra
  • Pêssego
  • Tâmara
  • Tamarindo
  • Tangerina
  • Uva

Vegetais

Tal como a fruta, os vegetais também são alimentos sem glúten. Veja a lista de vegetais sem glúten:
  • Abacate
  • Abóbora
  • Agrião
  • Aipo
  • Alcachofra
  • Alface
  • Alfafa
  • Alga
  • Alho
  • Araruta
  • Aspargo
  • Batata (inglesa e doce)
  • Beringela
  • Brócolis
  • Cebola
  • Cenoura
  • Cogumelos
  • Couve
  • Couve de Bruxelas
  • Couve-Flor
  • Ervilha
  • Espinafre
  • Feijão
  • Feijão Verde
  • Milho
  • Nabo
  • Pepino
  • Pimenta
  • Quiabo
  • Rabanete
  • Repolho
  • Rúcula Salsa

Carnes

As carnes são livres de glúten, desde que não sejam carnes empanadas, ou com molhos! Evite os molhos de carnes, geralmente são molhos que contém glúten. Veja aqui a lista de carnes sem glúten:
  • Búfalo
  • Cabra
  • Codorna
  • Coelho
  • Cordeiro
  • Galinha
  • Ganso
  • Pato
  • Peru
  • Porco
  • Vaca
  • Vitela

Ovos, Lactícinios e Derivados

  • Caseína
  • Creme
  • Creme Azedo
  • Iogurte – puro e sem sabor
  • Leite
  • Manteiga (certifique-se que não contém aditivos)
  • Ovos
  • Queijos (alguns!!! nem todos são livres de glúten, alguns contém glúten! cuidado)
  • Soro de Leite

Farinha, grãos e trigo

Cuidado aqui!!! As farinhas, grãos e trigos são os alimentos que contém glúten!! Mas ainda assim existem algumas excepções de farinhas, grãos e trigo sem glúten. Veja aqui a lista de farinhas, grãos e trigos sem glúten:
  • Amaranto
  • Amido de milho
  • Araruta
  • Arroz
  • Arroz integral
  • Besan
  • Dal
  • Farinha de Amêndoas
  • Farinha de arroz integral
  • Farinha de batata
  • Farinha de Ervilha
  • Farinha de Feijão
  • Farinha de Inhame
  • Farinha de milho
  • Farinha de Soja
  • Farinha de Tapioca
  • Fubá
  • Iúca
  • Levedo
  • Mandioca
  • Milhete
  • Pipoca – sem molhos
  • Polenta
  • Quinoa
  • Sagu
  • Semente de algodão
  • Semente de Linhaça
  • Teff
  • Trigo sarraceno

Outros alimentos que não contém glúten

  • Álcool (excepto a cerveja!!!)
  • Baunilha
  • Bicarbonato de Sódio
  • Calda
  • Castanhas
  • Ervas
  • Gelatina
  • Geléia
  • Goma Xantana
  • Mel
  • Óleos
  • Sementes
  • Suco
  • Temperos (alguns!!! verifique os rótulos)
  • Vinagre
  • Vinho
  • Vitaminas
Para além desta lista de alimentos sem glúten, existe ainda mais alimentos que não contém glúten, que hoje em dia, estão identificados nos seus rótulos que são livres de glúten! Alguns pãos, cereais, etc, produtos que geralmente consideramos que contém glúten, muitos deles já são feitos com farinhas e trigos sem glúten, sendo que não contém glúten. Mas atenção!!! – Veja sempre os rótulos do que compra e do que consome para verificar se contém ou não glúten.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Rambutan fruto na Amazônia


O rambutã, é o fruto da rambuteira, uma árvore tropical de tamanho médio, da família das Sapindaceae, que se julga ser nativa do arquipélago malaio. O rambutão é um fruto comestível, muito abundante no Sudeste Asiático, sobretudo na Tailândia.

Rambutan: conheça as propriedades do exótico fruto encontrado na Amazônia

rebutamDe sabor doce e levemente ácido, o rambutan é um dos frutos consumidos na Amazônia. Com sabor semelhante ao da pitomba, o fruto de origem asiática tem na propriedade cálcio, potássio e vitaminas A e C. O aspecto é semelhante ao do urucu, mas ‘não passa de coincidência’, como explica a pesquisadora da  Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Nelcimar Reis de Souza. O rambutan é da família das sapindáceas, mesma família da pitomba e da lichia.
“O rambutan é original da Malásia e foi trazido para Manaus em 1980 por um pesquisador da Embrapa. Esse pesquisador trouxe três mudas da espécie e plantou em nossa sede”, relembra Nelcimar, que estuda  a espécie desde 1992.
A  pesquisadora explica que o exótico fruto adaptou-se às condições climáticas da cidade e se disseminou rapidamente através do plantio de sementes. Depois de 32 anos da chegada da espécie, o rambutan também pode ser encontrado nos Estados do ParáRoraimaAcre, Rondônia e no sul da Bahia. “A Embrapa fez um trabalho de divulgação do fruto e todo mundo que gostou levava a semente”, recorda.
Existem duas razões para o consumo: o sabor agradável e o valor nutritivo do fruto. Existem espécies que não têm sabor agradável, mas com valor medicinal e nutricional. O rambutan ou a rambutã, a língua portuguesa aceita as duas grafias, é consumido pela primeira razão. “Nunca encontrei ninguém que não gostasse”, garante Nelcimar. O rambutan é adequado ao consumo natural, mas existem relatos de consumos em saladas e até como geleia, destaca a pesquisadora.
As cores do rambutan podem variar entre vermelho, vinho e amarelo. Os frutos preferidos entre os consumidores são os de cores vermelhass, pois são mais doces e o fruto solta com mais facilidade do caroço. Uma das características que favoreceu a reprodução da espécie em Manaus foi hermafrodismo. “É uma espécie que se reproduz por semente”, explica.
Cultivo
A espécie é cultivada no Amazonas em pomares mistos de 20 a 50 pés, a frutificação acontece entre os meses de janeiro a março. A produção dos frutos inicia um ano após a germinação, mas em larga escala somente a partir do quarto ano.
Uma rambuteira pode produzir até mil frutos por safra. Se a árvore for adubada adequadamente, pode render de três a quatro mil frutos. A árvore pode viver mais de 25 anos. Na sede da Embrapa, em Manaus, ainda é possível conhecer o primeiro pé de rambutan plantado na Amazônia. A Embrapa tem conhecimento de plantações expressivas nos municípios de Presidente Figueiredo e Iranduba e no ramal do Pau Rosa.
Portal Amazônia

terça-feira, 18 de abril de 2017

QUIABO PARA CONTROLAR DIABETES, LIMPAR RINS E COMBATER ASMA!


ESTA É A FORMA CERTA DE USAR O QUIABO PARA CONTROLAR DIABETES, LIMPAR RINS E COMBATER ASMA!

Só para se ter ideia da mortalidade da doença, no Brasil ela mata quatro vezes mais que a aids, segundo dados do Ministério da Saúde.
Se você tem a doença, é muito importante a orientação de um bom médico.
Mas não menospreze o poder da medicina caseira.
Estas duas receitas caseiras que ensinaremos adiante, por exemplo, são poderosíssimas.
Falemos de cada uma delas.
A primeira: a água de quiabo.
O quiabo (Abelmoschus esculentus) é amado ou odiado por muitos por causa da característica de ser bem “pegajoso”.
Mas é justamente graças à sua “baba” que o quiabo tem muitas propriedades medicinais: é bom para a visão, trata úlcera estomacal, atua contra a asma, normaliza o colesterol, evita o câncer de cólon, combate a prisão de ventre.
Outro grande benefício do quiabo é o controle do diabetes e do colesterol.
Sem exagero, podemos dizer que o quiabo é o melhor remédio natural para o diabetes.
E o segredo é a mucilagem liberada pelo quiabo, conhecida popularmente como “baba”.
Nela há uma grande concentração de fibras que ajudam a baixar os níveis de glicose no sangue a partir do intestino.
Em estudo de 2011 publicado no Journal of Pharmacy and Bio-allied Science, os pesquisadores confirmaram que o quiabo era uma potencial fonte alternativa para o tratamento do diabetes, pois reduziu o nível de açúcar no sangue de forma significativa em animais testados em laboratório.
Para fazer a água de quiabo, você vai precisar de 4 a 6 quiabos  e de 200 ml de água.
Corte os quatro quiabos no meio, descartando as pontas, e ponha-os num copo d’água.
quiabo_-_diabetes
Tampe o copo.
Deixe de molho durante a noite.
Na manhã seguinte, retire os quiabos e beba a água.
<
De preferência, tome essa água em jejum e espere meia hora para comer ou beber.
A água de quiabo também é ótima para limpar os rins (cálculos renais) e combater a asma.
A segunda receita é o suco de maxixe.
Infelizme, o maxixe (Cucumis anguria L.) não é fácil de ser encontrado.
Mas se você tiver acesso fácil a ele, vale investir no seu consumo.
O maxixe é rico em zinco, mineral importante para o bom funcionamento de todos os tecidos do corpo e para o metabolismo do açúcar e de proteínas.
Também é fonte de cálcio, fósforo, ferro, sódio, magnésio, vitamina C, vitaminas do complexo B e betacaroteno (pró-vitamina A).
Por ser rico em zinco, auxilia no combate e na prevenção dos distúrbios da próstata; diminui o depósito do mau colesterol; elimina manchas brancas nas unhas e ajuda na cicatrização de ferimentos diversos.
É muito útil nos casos de cálculo renal, hemorroidas, inflamação dos rins e vômito.
Como no cozimento quase todo o zinco se perde, é bom comer o maxixe cru, em salada e em suco (sugestões: maçã, cenoura e maxixe; maçã e maxixe; maçã, salsão e maxixe; laranja e maxixe).
O suco de maxixe é um santo remédio para quem tem diabetes.
Faça o teste e comprove.
A receita e o tratamento são muito simples.
Raspe um maxixe e corte-o ao meio.
Adicione 1 copo d’água e bata tudo no liquidificador por cinco minutos.
Coe e beba.
Tome esse suco duas vezes por dia: em jejum e 30 minutos após o jantar.
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/03/2017/esta-e-forma-certa-de-usar-o-quiabo-para-controlar-diabetes-limpar-rins-e-combater-asma

CATARRO NO TÓRAX E GARGANTA – RESULTADO IMEDIATO!

COMO SE LIVRAR NATURALMENTE DO CATARRO NO TÓRAX E GARGANTA – RESULTADO IMEDIATO!


O muco, mais conhecido como catarro, é uma substância viscosa secretada pela membrana mucosa do aparelho respiratório.
Diferentemente do que muita gente pensa, ele é útil, pois sua função é proteger  contra bactérias e outros patógenos presentes no ar.
O problema está no excesso de muco, que tem relação com o o consumo de açúcar e de leite e derivados.
Quando isso ocorre, ele se acumula na garganta e no peito e, como tentativa de expulsá-lo, o corpo acaba estimulando a tosse.
Note que, quando aparecem quantidades excessivas de muco, é sinal de que estamos com gripe, sinusite, infecção viral ou bacteriana, alergia, garganta dolorida ou até mesmo febre.
Junto a ele, vem o corrimento nasal, a tosse e a dificuldade de respirar.
Se os sintomas não forem tratados rapidamente, o catarro pode causar entupimento dos brônquios e infecções respiratórias.
Para resolvemos o problema, podemos contar com tratamentos naturais.
Estes são ótimos:
1. Mel e limão
O mel tem propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas que acalmam o trato respiratório irritado e levam a um alívio imediato.
O limão, por outro lado, é rico em vitamina C, que estimula o sistema imunológico e combate o congestionamento nasal.
INGREDIENTES
2 colheres (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de mel
MODO DE PREPARO
Coloque o mel e o suco de limão num copo e mexa bem.
Beba a mistura logo em seguida para aproveitar os benefícios.
Consuma três vezes ao dia.
2. Gengibre
O gengibre pode atuar como um descongestionante e anti-histamínico (antialérgico) natural, além de possuir propriedades antivirais, antibacterianas e expectorantes.
Por isso é um ótimo remédio para combater congestão no peito e na garganta.
Você deve mastiga três ou quatro fatias de gengibre cru diariamente, ou beber chá de gengibre algumas vezes ao dia.
Outra opção é preparar um chá:

pulmao_-_ed

INGREDIENTES
6 ou 7 pedacinhos de gengibre
1 colher (chá) de mel
1 colher (chá) de pimenta-do-reino
2 xícaras de água
MODO DE PREPARO
Aqueça a água numa panela e quando ela começar a ferver, adicione o gengibre e a pimenta.
Depois cubra a panela e deixe ferver por mais um minuto em fogo algo.
Em seguida, abaixe o fogo e cozinhe por mais cinco minutos.
Coe e adicione uma colher (chá) de mel.
<
Você deve beber este chá duas ou três vezes ao dia para combater gripe, tosse e outros problemas respiratórios.
3.    Vinagre de maçã
O vinagre de maçã equilibra o pH no corpo e isso previne a produção excessiva de muco.
Adicione uma colher (sopa) de vinagre de maçã orgânico para cada  copo de água e misture bem.
Beba  a mistura duas ou très vezes por dia para eliminar o catarro.
Outra opção é gargarejar a solução para combater a dor na garganta.
Mas tem que ser um vinagre puro e orgânico, de boa qualidade.
4. Açafrão-da-terra/cúrcuma
O açafrão-da-terra (também conhecido como cúrcuma) tem poderosas propriedades medicinais e, além de tudo, destrói vírus e bactérias.
Veja a receita:
INGREDIENTES
1 colher (chá) de açafrão
Meia colher (chá) de sal (tem potentes propriedades antibacterianas)
1 copo de água morna (acalma uma garganta irritada)
MODO DE PREPARO
Adicione uma colher (sopa) de açafrão a um copo de água morna, adicione o sal, mexa e gargareje a solução.
Faça isso  três a quatro vezes ao dia para eliminar o muco  e reduzir a fleuma em sua garganta.
Gargarejar  água salgada é extremamente útil, pois acalma a garganta irritada e combate as bactérias.
Mas hipertensos, devido ao sal, não devem fazer este tratamento.
5. Inalação de ervas
Respirar o vapor de certas ervas medicinais permite acaba com a congestão causada pelo excesso de muco.
Você sentirá alívio quase de imediato.
Veja como fazer:
INGREDIENTES
4 xícaras de água fervente
1 colher (sopa) de tomilho seco
1 colher (sopa) de alecrim seco
MODO DE PREPARO
Adicione o tomilho e o alecrim à água, e incline-se sobre a tigela para inalar o vapor.
Coloque uma toalha sobre a cabeça, para que o vapor vá direto para o rosto e não escape.
Repita o procedimento três a quatro vezes ao dia.
Você também pode desfrutar de um banho de chuveiro duas vezes por dia.
Além dessas receitas, você pode seguir algumas instruções, como:
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/04/2017/como-se-livrar-naturalmente-do-catarro-no-torax-e-garganta-resultado-imediato

CADA DENTE É LIGADO A UM ÓRGÃO – A DOR DE DENTE PODE REVELAR PROBLEMAS NOS ÓRGÃOS DO CORPO!

CADA DENTE É LIGADO A UM ÓRGÃO – A DOR DE DENTE PODE REVELAR PROBLEMAS NOS ÓRGÃOS DO CORPO!


Você sabia que uma dorzinha de dente pode ser sinal de problemas em um órgão que nada tem a ver com a região da boca?
Isso mesmo!
Os dentes  têm relação com os nossos órgãos.
Pelo menos é o que acredita a medicina tradicional chinesa.
Você certamente já ouviu falar do sistema de meridianos tão explorado pela acupuntura, certo?
Pois bem, esse equilíbrio energético entre os meridianos que interligam todos os órgãos também nos permite saber que os dentes estão “ligados”, pelos meridianos, aos órgãos do corpo.
Se um dente tem um processo inflamatório crônico, uma restauração desencadeadora de reatividade, uma doença periodontal ou qualquer outro problema que a pessoa considera inofensivo, esse dente pode ser a causa escondida de uma dor ou disfunção crônica no órgão com o qual está conectado através dos meridianos.
Na medicina convencional, sabe-se há muito tempo que os dentes purulentos/focos dentários podem causar problemas cardíacos e até mesmo ataques cardíacos.
Os dentes incisivos superiores e inferiores, por exemplo, estão associados aos rins, bexiga e orelhas.
Os caninos, por outro lado, estão ligados ao fígado e à vesícula biliar.
Agora, se a dor for nos dentes molares, provavelmente há algum problema em seu estômago, baço ou pâncreas.

dentes_e_orgaos

E, acredite, os dentes do siso podem acusar problemas no coração e intestino delgado.
Essas dores são chamadas de “dor fantasma”.
Saber quais órgãos estão relacionados a cada dente pode ser de grande valia.
Apesar disso, não pense que toda dor de dente é necessariamente um sintoma de doença nos órgãos.
<
A dor pode ser motivada por alguma lesão ou uma cárie originada por uma má escovação, por exemplo.
Abaixo, apresentamos uma lista de possíveis problemas para a dor de cada tipo de dente de acordo com a tradicional medicina chinesa.
Veja:
– Dor nos incisivos superiores e inferiores: sinal de cistite, otite ou pielonefrite.
– Dor no primeiro incisivo: sinal de tonsilite e prostatite.
– Dor nos dentes caninos: sinal de colecistite ou hepatite
– Dor nos dentes pré-molares: pode ser sinal de colite, reação alérgica, pneumonia ou disbiose intestinal.
– Dor no quarto dente superior ou inferior: pode ser doença do cólon ou até mesmo artrite,  problemas nos joelhos, cotovelos e ombros.
– Dentes molares: indica úlcera gástrica, pancreatite, úlcera duodenal, anemia e gastrite crônica.
– Dor no sexto dente inferior: sinal de problemas nas artérias.
– Dor no sexto dente superior: é frequentemente associada a inflamação dos ovários, baço, tireoide, sinusite e doenças da faringe.
– Dor nos dentes molares inferiores: tem relação com varizes, pólipos no cólon ou esteja com algum problema no pulmão, como asma, bronquite e pneumonia.
– Dor nos dentes do siso: está relacionado com problemas cardíacos e defeitos congênitos
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico/dentista.

fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/12/2016/cada-dente-e-ligado-um-orgao-dor-de-dente-pode-revelar-problemas-nos-orgaos-do-corpo

Transtorno de Ansiedade Social (ou Fobia Social)


Transtorno de Ansiedade Social (ou Fobia Social)

O contato ou, simplesmente, a expectativa de contatoAnonymous Mind com essas situações desencadeia sintomas físicos visíveis, como rubor facial (vermelhidão no rosto), suor intenso (principalmente na parte superior do corpo), tremores, tensão muscular, fala tremida, taquicardia e boca seca. O paciente acredita que todos à sua volta percebem o seu nervosismo e com isso ele fica ainda mais tenso.
Tal qual a tristeza é uma reação normal dos seres humanos e a depressão sua correspondente adoecida, a timidez também é uma reação humana normal – às vezes até útil – e a fobia social, ou transtorno de ansiedade social (TAS), sua equivalente patológica.
A fobia social é muito mais do que simples timidez. Ela ocorre quando a ansiedade é excessiva e persistente ou constante. Há um medo enorme de se sentir o centro das atenções, de ser permanentemente observado ou julgado negativamente.
A ansiedade excessiva na presença de outras pessoas é o principal sintoma do transtorno de ansiedade social. Essa ansiedade está diretamente relacionada com o medo de ser avaliado negativamente pelos outros e pode se apresentar de forma circunscrita ou generalizada. Na circunscrita, a ansiedade excessiva encontra-se restrita a uma ou poucas situações, como comer, escrever ou falar em público. Já no tipo generalizado, a ansiedade exacerbada ocorre em grande número de situações sociais, tais como falar com estranhos, ir a banheiros públicos, falar om pessoas hierarquicamente superiores ou em quaisquer situações em que a pessoa possa ser observada, avaliada ou julgada.
Os sintomas de ansiedade em pacientes com fobia social, eventualmente, podem se manifestar como um verdadeiro ataque de pânico. A pessoa é dominada por uma intensa sensação de medo de que algo terrível possa ocorrer com ela, inclusive morrer, além de apresentar todos os sintomas físicos relativos a uma crise de pânico. Nestes casos, o fóbico social tenta fugir da situação o mais rápido possível, o que acaba por lhe causar sentimentos profundos de humilhação e vergonha.
O TAS costuma causar grandes prejuízos na vida profissional, acadêmia, social e afetiva das pessoas. Algumas até conseguem ir a uma festa ou mesmo fazer novos amigos, mas apresentam ansiedade extrema ao falar, escrever ou comer na frente de alguém. Outras chegam a evitar praticamente qualquer situação social tamanho o sofrimento. O importante a destacar não é em qual situação o indivíduo fica ansioso demais, mas, sim, a forma, a intensidade e a quantidade com que o medo afeta sua vida.
Na medicina do comportamento humano, infelizmente, um transtorno costuma vir acompanhado de outros transtornos, denominados comorbidades. No caso da fobia social, a depressão e o abuso de álcool ou outras drogas são parceiros bastante constantes e representam doses a mais de sofrimento para os portadores.
No caso da depressão, o paciente com TAS passa a apresentar um sentimento de tristeza persistente, perda do interesse e do prazer, redução geral da energia física e mental, dificuldades do sono, da atenção, da concentração, do raciocínio e do apetite. A presença da depressão em um paciente com TAS torna o caso mais sério e mais urgente de ser tratado de forma eficaz.
A fobia social é totalmente passível de ser superada. É importante que o paciente, aos poucos, tente fazer novos amigos, participe de festas e reuniões, convide alguém especial para um encontro romântico, exponha suas opiniões diante dos colegas de trabalho, entre outras situações nas quais a capacidade de socialização faz toda a diferença.
Fonte: livro Mentes Ansiosas, de Ana Beatriz Barbosa Silva.
Leia ainda:
Neurocientista Sergio Machado fala sobre a fobia social

Agorafobia

Agorafobia

Multidão
Agorafobia é um transtorno de ansiedade muito comum nos quadros de Transtorno de Pânico, e refere-se ao medo de andar na rua, de sair sozinho de casa, de ir a certos lugares, como mercados, bancos ou cinemas, provocado por forte e incontrolável apreensão. Muitas vezes existe a necessidade da presença de alguém de confiança ao lado do paciente para lhe dar segurança.
O agorafóbico sente enorme ansiedade ao estar em locais ou situações em que a saída seja difícil, onde haja multidões, como por exemplo grandes eventos (shows, estádios de futebol). Um supermercado muito grande ou um local onde uma necessidade de auxilio possa não estar disponível também provocam muito medo.
Os medos da Agorafobia mais comuns são:
engarrafamento
  • estar longe de casa ou de pessoas que deem segurança;
  • andar de carro, ônibus, trem, metrô ou avião (muitas vezes o paciente sente uma necessidade incontrolável de abandonar o local imediatamente);
  • locais fechados, com muitas pessoas;
  • situações nas quais a saída seja difícil, como congestionamentos ou o banco de trás de um automóvel;
  • estádios;
  • fila de banco;
  • túneis, passarelas, pontes;
  • elevadores;
  • viajar (se distanciar de casa);
  • ruas cheias;
  • feiras etc.
Medo de ter medo
Na agorafobia e no Transtorno de Pânico, a pessoa sente medo de ter medo, sensação conhecida como “medo do medo”. A ansiedade angustiante de sair e sofrer uma crise inesperadamente, passa a impedi-la de se expor a situações fora de casa.
Durante a crise, a pessoa pode achar que está enlouquecendo. Ela passa a evitar certos lugares, por exemplo, locais onde tenha passado mal anteriormente. Não vai mais ao cinema porque tem medo de passar mal e ser observada (e ridicularizada) pelas pessoas; não sai de carro, e com isso suas opções vão sendo reduzidas. Consequentemente, o comportamento mais comum na agorafobia é a evitação, a esquiva, a fuga de situações fora de sua zona de conforto, que normalmente é sua casa.
Alguns pacientes precisam ter alguém por perto, não conseguem mais sair sozinhos, ou sequer saem de casa.
Outros precisam saber que terão atendimento médico por perto, que há um hospital próximo. Esta preocupação quanto à rapidez do socorro também faz com que alguns pacientes tenham mais ansiedade ao anoitecer – talvez pela menor circulação de pessoas nas ruas, menor movimento, inclusive nos hospitais.
* Em 2013, com a publicação do DSM V, a Agorafobia foi desassociada do Transtorno de Pânico e passou a ser tratada como um diagnóstico independente, reconhecendo-se a existência de casos nos quais a Agorafobia ocorre sem a presença de sintomas de Pânico. (O DSM é o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais elaborado pela Associação Americana de Psiquiatria e usado como referência por profissionais de saúde mental em todo o mundo.)

Dicas para combater a ansiedade



Ontem fui almoçar com três colegas do trabalho e fizemos uma triste constatação: numa mesa com quatro pessoas, três estão se tratando da Síndrome do Pânico. Curiosamente, três mulheres. E pelo visto isso vai ser bastante comum daqui pra frente. De acordo com um texto que eu li no site Terra, o pânico e a depressão (que aliás costumam caminhar juntos) vão ser os males do século XXI. Não sei se chega a isso tudo, mas certamente vai vir uma avalanche de novos casos por aí.
As dicas a seguir foram retiradas de um texto enviado pelo Fernando Mineiro do GruPan, de Belo Horizonte (MG). Vale a pena ler.
Saúde, coragem e paz!
Bjo.


DICAS PARA COMBATER A ANSIEDADE
Introdução:
Ansiedade e medo são emoções tão corriqueiras que o dicionário está repleto de sinônimos para elas. A principal diferença entre medo e ansiedade é que o primeiro ocorre como uma resposta a um perigo real, enquanto a segunda ocorre sem que qualquer tipo de perigo objetivo esteja presente. A ansiedade é um estado emocional parecido com o medo, porém dirigido para o futuro, desproporcional (a uma ameaça reconhecível) e que traz intenso desconforto físico. A ansiedade pode manifestar-se de várias maneiras: em forma de ataques de pânico, de fobias (medos específicos de altura, avião, situações sociais, etc), como consequência de uma experiência traumática (assaltos, acidentes, etc) e de maneira generalizada (quando os sintomas persistem constantes ao longo do tempo). Em todos estes casos é possível lidar com a ansiedade utilizando técnicas psicológicas e/ou tratamentos farmacológicos adequados. Além desses recursos, alguns procedimentos simples têm-se mostrado eficazes e serão descritos a seguir.
1) Aprenda a relaxar. As técnicas de relaxamento são úteis em relação a todos os sintomas ansiosos. Uma maneira prática de fazer isso: feche os olhos e percorra toda musculatura do corpo, contraindo-a e relaxando-a em seguida. Comece pelo pé e vá passando gradativamente para as outras partes até chegar à cabeça. Isso pode ser feito na posição sentada ou deitada. Fique atento à sua respiração.
2) Respirar é algo tão automático na nossa existência que poucos imaginam o quanto este ato tão simples está relacionado à ansiedade. A respiração ansiosa é curta, concentra-se no peito. Por isso, mesmo no decorrer de uma crise de ansiedade, é necessário que se procure uma respiração completa e profunda. Para isso, inspire o ar até que a barriga fique cheia como um balão de ar. Depois, expire lentamente até sentir se totalmente “vazio”. Repita o procedimento quantas vezes forem necessárias.
3) Praticar esportes ou simplesmente caminhar são recursos úteis na diminuição da ansiedade e do estresse. Tente praticar algum esporte pela manhã. Faça isso sempre que possível mas não exagere. O exercício compulsivo pode ter o efeito inverso.
4) Evite café, cigarro, bebidas do tipo cola e outros estimulantes. Estas substâncias aumentam a ansiedade e desencadeiam ataques de pânico. Entretanto, o momento em que se inicia um tratamento para ansiedade não é o melhor momento para parar de fumar. A parada brusca do cigarro leva aos sintomas de abstinência que piorarão a sua ansiedade.
5) Se você tiver interesse em técnicas de meditação, saiba que lhe serão extremamente úteis no controle da ansiedade. A meditação, seja ela Zen-Budista, Yoga ou religiosa, orienta a experiência do momento presente, trabalha a respiração e facilita o contato consigo mesmo.
6) As pessoas ansiosas costumam ter pensamentos catastróficos a respeito de toda e qualquer situação. Observe seus pensamentos e, se lhe parecerem excessivamente catastróficos, anote-os e procure uma interpretação mais realista da situação.
7) Se sua ansiedade tiver começado após a vivência de uma situação traumática como assalto, estupro, etc., você deve procurar ajuda para enfrentá-la. Neste caso, evitar as situações relacionadas à experiência traumáticas também só piorará sua ansiedade e limitará sua vida.
8) Se a ansiedade é fóbica, ou seja, medo de um objeto ou situação que o obriga a evitá-la e acaba por limitar sua vida, é importante lembrar que o único meio de lidar com o problema é enfrentando-o. Evitar uma situação temida só colabora para que a ansiedade em relação a ela seja cada vez maior. Se, aos poucos, enfrentamos estes “fantasmas” e nos reconhecemos capazes de lidar com eles (respirando fundo, por exemplo), o medo diminui e nos sentimos mais seguros. O que tecnicamente é conhecido como “terapia de exposição” consiste no planejamento desta aproximação à situação temida e à ansiedade associada a ela.
9) Se a ansiedade é imensa e desencadeia ataques de pânico, não se apavore. O ataque de pânico é uma reação fisiológica que, por mais terrível que seja, vai embora num tempo determinado. Se você enfrentar o ataque de pânico, ou seja, apenas esperar que ele acabe, verá que seu tempo de duração não é tão longo quanto se imaginava. Respirar e relaxar são recursos que ajudam a suportar estes minutos tão difíceis. Não acredite que evitando as situações onde você imagina que terá um ataque de pânico vai ajudá-lo a livrar-se dele. O melhor a fazer é dar-lhe a devida proporção: é “apenas” uma descarga de adrenalina que não mata, nem deixa sequelas e dura poucos minutos.
10) Quando a ansiedade aumenta em situações sociais, a melhor maneira de lidar com ela também é enfrentá-la. Não deixe de estar com pessoas por medo de uma crise de ansiedade. Nestas situações, é possível utilizar outros recursos apropriados:
  • procure prestar atenção nas pessoas à sua volta. Tire o foco de si mesmo e pare de criticar-se. As demais pessoas podem ser interessantes e certamente também estão vulneráveis a críticas.
  • se perceber que está ruborizado, suando ou tremendo, lembre-se de que estes sinais são mais perceptíveis para você do que para os demais. Além disso, ficar ansioso não é sinal de fraqueza e não precisa se envergonhar disso. Assim como ataques de pânico, em poucos minutos estas sensações mais intensas cedem e desaparecem.
  • aprenda a colocar sua opinião sempre que tiver algo a dizer. Participe. Falar em público e expor suas idéias é uma questão de treino.
Quando a ansiedade for demasiadamente intensa e as orientações descritas forem insuficientes para ajudá-lo, é indicado o tratamento farmacológico e/ou psicoterápico. Muitas vezes, é necessário iniciar o tratamento de sua ansiedade com medicações que diminuam as crises mais intensas e lhe permitam maior estabilidade para realização de uma psicoterapia ou para utilização das orientações apresentadas aqui.

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

---------------------------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

emagrecer,dieta,abnoplastia,

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

a cura

As receitas e dicas aqui dispostas são uma orientação, prática e fácil, àqueles que desejam utilizar de plantas e ervas que estão a disposição de todos. Portanto, o conteúdo que aparece no Receita Natural NÃO oferece uma alternativa segura contra doenças, são apenas de caráter informativo ou complementar. Sempre procure um médico ou especialista para um diagnóstico preciso e um tratamento correto para seu caso.