ache aqui

google.com, pub-0465069744057450, DIRECT, f08c47fec0942fa0
Mostrando postagens com marcador Suplementos alimentares. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Suplementos alimentares. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Tratamento Natural Da Síndrome Do Intestino Irritável


----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------Ao notar sintomas da síndrome do intestino irritável é fundamental procurar orientação médica para iniciar o tratamento mais indicado.
Alguns tratamentos naturais também podem ajudar a melhorar os sintomas do problema.
  1. Evite Alérgenos Comuns e Alimentos Inflamatórios
Embora cada pessoa tenha reações diferentes a vários alimentos, certos alimentos tendem a desencadear sintomas da síndrome do intestino irritável mais do que outros.
Isto é especialmente verdadeiro em relação a alguns carboidratos, cujas pesquisas mostram que são comumente não absorvidos no intestino e se tornam fermentado, o que pode causar problemas gastrointestinais significativos (5).
As reações à fibra também são diversas, às vezes elas ajudam a aliviar a constipação, mas outras vezes causam gás e dores.
Alguns alimentos que você deve cortar da sua dieta para aliviar os sintomas da síndrome do intestino irritável incluem:
  •         Lácteos convencionais pasteurizados;
  •         Glúten (trigo, cevada, centeio);
  •         Açúcar e farinha refinada;
  •         Cafeína e álcool
  •         Alérgenos comuns, incluindo nozes e mariscos;
  •         Alimentos picantes;
  •         Certos grãos, legumes e frutas, como maçãs, frutas de caroço, alho e brócolis.
  1. Reduzir o estresse
Níveis mais elevados de estresse estão ligados a distúrbios na digestão, pois o estresse aumenta a inflamação no organismo.
Estudos descobriram que a ansiedade, depressão, transtornos de personalidade e histórico de abuso sexual na infância são todos fatores de risco para a síndrome do intestino irritável. Mas mesmo o estresse causado a partir de situações cotidianas, como o trabalho ou as obrigações familiares, pode afetar a digestão (6).
O que você pode fazer para diminuir o estresse? Exercício, meditação, acupuntura, passar mais tempo na natureza e manter hobbies.
  1. Atividade Física
Estudos descobriram que o exercício regular (incluindo aeróbico, levantamento de pesos, ou ioga) ajuda a controlar o estresse e pode melhorar a saúde digestiva.
Um estudo de 2011 publicado no American Journal of Gastroenterology descobriu que o aumento da atividade física melhora os sintomas gastrointestinais e a qualidade de vida (7).

Causas Da Síndrome Do Intestino Irritável

Estudos mostram que as causas exatas da síndrome do intestino irritável são complexas e diferentes para cada pessoa, uma vez que muitos fatores na vida de alguém podem afetar a digestão (8).
Os pesquisadores acreditam que a causa subjacente dos sintomas da síndrome é o funcionamento anormal dos nervos, enzimas e músculos dentro do trato digestivo. Estes ajudam a controlar a absorção de nutrientes depois de comer, níveis de líquidos, gás e liberação de evacuações (9).
Um fator importante que determina como funciona o sistema digestivo é realmente seus níveis de estresse e humor, uma vez que o intestino está intimamente ligado ao cérebro. Estresse e digestão também estão diretamente relacionados porque o intestino é capaz de produzir, ou não produzir, certos neurotransmissores, como a serotonina (10).
Embora não haja uma causa específica, fatores comuns que contribuem para a síndrome do intestino irritável incluem:
>> Alimentos alérgenos;
>> Estresse crônico;
>> Casos de síndrome do intestino irritável na família;
>> Mudanças na rotina de sono;
>> Desequilíbrios ou alterações hormonais.

Diagnóstico Da Síndrome Do Intestino Irritável

A síndrome do intestino irritável é diferente de outros problemas digestivos, porque não há problemas estruturais nos intestinos de pessoas com essa condição (por exemplo, não existem bloqueios do cólon), o que dificulta o seu diagnóstico.
Não existem testes que possam revelar definitivamente se alguém tem síndrome do intestino irritável ou não (11). O diagnóstico só pode ser feito através de um processo de eliminação e observação de sintomas.
Os médicos muitas vezes gostam de discutir com os pacientes como os sintomas do IBS são desencadeados e também como eles tendem a desaparecer.
A síndrome do intestino irritável afeta mais de 10% da população mundial, sendo mais comum entre mulheres jovens.
Nenhum teste pode realmente confirmar se alguém tem ou não a síndrome, por isso é tão importante ficar atento aos sintomas. Alguns dos mais comuns incluem alterações nos movimentos intestinais normais, incluindo constipação e diarreia; dores abdominais, náusea, azia ou refluxo ácido.
Os sintomas não digestivos da síndrome do intestino irritável podem incluir ansiedade ou depressão, problemas para dormir, fadiga, dores de cabeça, gosto desagradável na boca, dores musculares, problemas sexuais, palpitações cardíacas e necessidade frequente de urinar.
Você pode tratar naturalmente os sintomas evitando alérgenos, reduzindo o estresse e praticando atividades físicas. Também recomendo que você retire o açúcar da sua alimentação. (Preencha o formulário abaixo para saber mais sobre os malefícios do açúcar)
Os fatores comuns que contribuem para a síndrome incluem sensibilidades alimentares e alergias, estresse, mudanças nas rotinas do sono e desequilíbrios ou alterações hormonais.
Caso você apresente os principais sintomas da síndrome do intestino irritável, procure orientação médica.
Para quem prefere, o conteúdo deste artigo está disponível também em vídeo a seguir. Basta dar o play!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Limpeza Intestinal SECA BARRIGA

Limpeza Intestinal SECA BARRIGA


Você sabia que seu intestino acumula dejetos que si pregam as paredes dos intestinos ficando endurecidos e apodrecidas ?
pois e .
algumas pessoas sofre anos e anos com diversos males, intestino preso, gases, pele sem brilho , barriga grande dilatada e não sabe que uma simples limpeza intestinal poderia sim resolver bem o caso!
sem falar que chega a ser uma questão digamos de prevenção higiene e saúde .


A limpeza intestinal e muito utilizada em outros países por famosos que querem ter a barriga enxuta retinha
aqui no brasil a limpeza instetianal e vulgarmente conhecida por CHUCA muito usada por adeptos do sexo anal .
porem a limpeza trás outros benefícios a saudê .
 desintoxicação do organismo e te deixa com uma pele de porcelana alem de controlar problemas com gases regula o horário que a pessoa vai ao banheiro evacuar
tem coisa mais desagravei que sai ir a uma festa e chegando la da uma vontade imensa de fazer o numero 2? e uma situação bem chata NE .
existe alguns métodos para esta limpeza

o objetivo e expelir os dejetos limpar as paredes naõ deixar acumular fezes apodrecidas no instestino grosso
 podem ser feito em casa não existe nenhuma restrição para fazer a desintoxicação, de forma que seja feita com moderação. Qualquer um pode fazer a limpeza intestinal, mas não pode ser feita para sempre, pois o organismo necessita de outros alimentos. Os únicos a quem eu não recomendo são as pessoas com câncer de intestino.”  Após sentir que você está desintoxicado, não vá abusar nos mesmo

alimentos novamente. Tudo pode ser ingerido, desde que seja com bom senso.

vou colocar alguns vídeos abaixo veja e escolha o melhor método para você 






 







compatilhe esta noticia e ajude a salvar vidas 

quarta-feira, 17 de maio de 2017

parto vantagens e desvantagens



urante a gravidez, uma das preocupações das mulheres é a forma que o filho virá ao mundo. Especialistas são unânimes em afirmar que não existe um tipo ideal de parto, embora o normal seja o mais indicado, por oferecer um ambiente mais seguro para mãe e neném.
Para que a decisão seja adequada, a gestante deve acompanhar o desenvolvimento do bebê por meio de um pré-natal, dando ao obstetra as condições necessárias para avaliar a saúde do feto e indicar a melhor opção. Conheça, a seguir, as vantagens e desvantagens de cada tipo de parto. 
Parto normal
Como é feito : entre a 37ª e a 40ª semana de gestação, as contrações alertam a mãe sobre o começo do trabalho de parto. Quando ocorrem a cada cinco minutos, significa que o corpo está pronto para o nascimento. Para que o processo se inicie, é preciso que a dilatação esteja em, aproximadamente, dez centímetros. Após isso, o útero começa a empurrar o bebê e a mamãe deve ajudar fazendo força até a cabeça aparecer. Após o nascimento, novas contrações expulsam a placenta.
Indicação : grávidas que não apresentem complicações, pois o organismo já se prepara para o nascimento. Os hormônios produzidos durante o trabalho de parto ajudam a acelerar a produção do leite, inclusive.
Benefícios : não apresenta riscos ao bebê ou à mãe e beneficia o corpo para novas gestações. “Além do que, se não for necessário um corte cirúrgico no períneo, a recuperação da paciente é muito rápida e menos dolorosa”, salienta Jurandir Passos, ginecologista, obstetra e especialista em medicina fetal do Delboni Auriemo.
Desvantagens : mesmo que a gestação tenha sido saudável, não se tem controle total do parto, pois é preciso esperar o corpo reagir. Se o corte cirúrgico for necessário para facilitar a passagem, é preciso ter cuidado durante a cicatrização.
Parto cesárea
Como é feito : processo cirúrgico realizado por meio de uma incisão no abdômen e na parte inferior do útero para retirar o bebê, com auxílio de anestesia. Logo após o nascimento, o neném é avaliado por um pediatra e a mãe é levada para uma sala de recuperação, após os pontos.
Indicação : apenas quando há algum impedimento para o parto normal ou a mulher apresente riscos de hemorragia, descolamento da placenta, problemas de coluna ou quadril, cardiopatia, diabetes gestacional ou hipertensão. “Às vezes, mesmo induzindo o parto normal, se não houver dilatação, pode haver riscos à mãe e ao bebê, sendo necessária a cesárea”, diz o ginecologista.
Benefícios : método alternativo nos casos em que os riscos do parto normal são maiores do que os benefícios, e também uma opção para quem enfrenta uma gravidez complicada.
Desvantagens : riscos de infecção, hemorragia, complicações anestésicas ou até mesmo acidentes próprios da cirurgia. “A cicatrização pode ser problemática, pois se cria um sinal no útero, que é uma região frágil e a recuperação requer cuidados”, salienta Jurandir.
Variações

Natural : nesse parto, a dor é diminuída por meio de banhos quentes, massagens, caminhadas e exercícios com bola. Além do que, não há intervenções para romper artificialmente a bolsa e nenhuma incisão é feita. Ainda assim, é preciso acompanhamento para que o médico tenha um panorama da evolução da criança, se está adequado ou não, possibilitando qualquer procedimento de emergência.
Leboyer : procedimento no qual as luzes ficam apagadas e, assim que o bebê nasce, é colocado em cima da barriga da mãe, sem o corte imediato do cordão umbilical. “Esse parto nada mais é do que tirar o neném da barriga e colocá-lo num ambiente parecido com o útero, com baixa luminosidade e água quente”, completa.
Na água : numa banheira esterilizada e com água aquecida, a mãe dá à luz. Nos primeiros momentos, a criança ainda respira pelo cordão umbilical, por isso não há risco de afogamento. Nele, a mulher sente menos o cansaço do trabalho de parto, mas é contraindicado para gestantes com pré-eclâmpsia.
De cócoras : com a ajuda da gravidade, a tendência é que seja realizado mais rapidamente, porém só é indicado para mulheres que não apresentam problemas de pressão arterial e se o bebê estiver na posição certa para descer.
Domiciliar : precisa de suporte médico e estrutura, pois existem complicações que podem ocorrer até mesmo com uma gravidez considerada normal e saudável, como crises hipertensivas no momento do parto e hemorragia.
Com fórceps : equipamento de ferro que auxilia na descida do bebê. Serve apenas para auxiliar a passagem pela parte muscular. “Hoje, ele é chamado de parto de alívio e auxilia o bebê apenas na parte final, no último obstáculo para sua passagem”, esclarece.

faça seu cartao SUS (Cadastramento Nacional de Usuários do SUS )


O Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ao usuário, ao profissional que os realizou e também à unidade de saúde onde foram realizados. Para tanto, é necessária a construção de cadastros de usuários, de profissionais de saúde e de unidades de saúde. A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um número nacional de identificação.

Cadastramento de Usuários

O cadastramento de usuários para os 44 municípios do projeto-piloto do Cartão Nacional de Saúde foi iniciado em janeiro de 2000, com o objetivo de constituir um cadastro com informações individualizadas dos usuários nesses municípios, permitindo que cada cidadão tenha seu Cartão Nacional de Saúde.
O Ministério da Saúde assinou convênio com cada um dos 44 municípios, de forma a apoiar as tarefas envolvidas no cadastramento. O repasse foi feito na base de R$ 0,30 por habitante, devendo o município dispor, em contrapartida, de R$ 1,00 por habitante. Cada município estabeleceu sua própria estratégia de operacionalização do cadastramento.

Os cartões confeccionados pelas empresas contratadas pelo Ministério da Saúde são encaminhados às respectivas secretarias municipais de saúde. Cabe ao gestor, portanto, sua distribuição aos usuários. É nesse momento que deve ser aproveitado o contato para ressaltar a importância de seu uso e dos benefícios. A forma de distribuição também pode ser escolhida pelo município:
§ entrega domiciliar;

§ entrega na unidade de saúde;

§ entrega feita por agentes comunitários de saúde;

§ entrega feita pelos Correios.

Cadastramento de Profissionais

Os profissionais envolvidos nas unidades de saúde onde está sendo implantado o Cartão Nacional de Saúde também precisam ser cadastrados para que possam receber seus cartões de identificação, igualmente baseados no número PIS/Pasep.

O cadastramento dos profissionais dos 44 municípios teve início em novembro/2000 e integra o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde realizado pela Secretaria de Assistência à Saúde (SAS), do Ministério da Saúde.

Para o Projeto, são considerados profissionais todos aqueles que geram procedimentos para o SUS ou que trabalharão com a operação direta dos terminais de atendimento.

O cadastramento foi idealizado nos mesmos moldes do cadastramento de usuários, um formulário foi concebido pelo Ministério e o Departamento de Informática do SUS (Datasus) desenvolveu um aplicativo para entrada de dados.


Os cartões de profissionais também são encaminhados às secretarias municipais de saúde, juntamente com as correspondências lacradas que contêm as senhas de acesso ao sistema.


Essa senha é pessoal, sigilosa, intransferível, está gravada na tarja magnética do cartão e permite a identificação do profissional que faz atendimento, lança ou extrai dados do sistema.



Cadastramento Nacional de Usuários do SUS


Diante da necessidade de identificação individualizada de usuários do SUS e já visando à expansão do projeto Cartão Nacional de Saúde para toda a população brasileira, na Portaria MS/GM nº 17, de 13 de fevereiro de 2001, o Ministério da Saúde instituiu o Cadastro Nacional de Usuários do Sistema Único de Saúde e regulamentou sua implantação.

Esse cadastramento agrega novas características àquele anteriormente desenvolvido nos municípios do projeto piloto:

· todo o preenchimento dos formulários deve ser feito através da visita aos domicílios dos usuários;

· os municípios e estados aderem ao processo voluntariamente por meio da assinatura de termos de adesão;

· a ajuda financeira aos municípios para a operacionalização do processo é realizada a partir da validação de cada cadastro. Como forma de apoiar o início do processo de cadastramento, na adesão dos municípios o Ministério da Saúde libera 15% do total de recursos estimados para o repasse.

A Portaria SIS/SE n.º 39, publicada em 19 de abril de 2001, trata da operacionalização do processo de cadastramento nacional e traz os termos de adesão, municipal e estadual, bem como o manual de preenchimento do formulário.
 Family-Focused,Cooking Enthusiasts/Aspiring Chefs,Home Decor Enthusiasts,kit primeiros socorros

quinta-feira, 27 de abril de 2017

fubá alimento


E o fubá?


Essa semana me perguntaram sobre o fubá, especificamente sobre a polenta, e realmente parei para pensar que nunca prescrevi ou coloquei como substituição a polenta no cardápio dos meus pacientes! O que ao meu ver, é uma falha, até mesmo porque agora no inverno um prato quentinho cai muito bem, então resolvi dar meu parecer sobre o uso do fubá.

Primeiramente é importante saber que o fubá é um carboidrato, e ele deve então ser incluso no cardápio como substituto ou complemento do arroz, macarrão, batatas, mandiocas, batata doce, inhame, cara, etc…
E vamos às calorias:
Arroz branco cozido- 100g – 124,69 calorias
Batata cozida- 100g – 87 calorias
Macarrão cozido 100g – 141 calorias
Polenta – 100g – 62,88 calorias.

Benefícios do fubá para a saúde

  • Pode ser consumido por celíacos, pois o fubá não apresenta glúten, a proteína proibida por quem apresenta a doença celíaca;
  • Muito bom no combate a anemia;
  • Deve ser consumido por mulheres grávidas, por ser fonte de ácido fólico, que é importante na formação do bebê;
  • É uma fonte interessante de fibras, que ajudam o funcionamento do intestino;
  • Não apresenta colesterol;
  • Ajuda pessoas convalescentes a ganharem peso.

– Sopa de fubá nutritiva
Em uma panela coloque 3 dentes de alho, 1/2 cebola e ervas de sua preferencia e 1 colher de sopa de azeite extra virgem. Não refogar.
Acrescente meio maço de couve picado grosseiramente. Tampe a panela e deixe cozinhar tempo suficiente para murchar a couve.
Já é hora de colocar 1 xícara de fubá dissolvido em 2 xícaras de água. Mexa bem. Tampe a panela. Deixe cozinhar por 10 minutos, não esquecendo de mexer de vez em quando, para não grudar no fundo da panela.
Prove o sal e sirva a seguir, bem quente.
Caso queira o caldo mais líquido, aumente a quantidade de água da receita.

Valores nutricionais do fubá em 100 gramas

  • Calorias – 370
  • Carboidrato – 79g
  • Proteínas – 7g
  • Fibras – 3.9g
  • Açúcares – 1.6g
  • Lipídios – 1.8g
  • Gordura saturada – 0.2g
  • Gordura poli-insaturada – 0.6g
  • Gordura monoinsaturada – 0.3g
  • Sódio – 7mg
  • Potássio – 142mg
  • Vitamina A – 214 UI
  • Cálcio – 3mg
  • Ferro – 1.1mg
  • Vitamina B6 – 0.2mg
  • Magnésio – 32mg

Fubá engorda?

Depende da quantidade, mas provavelmente sim. Fubá é uma fonte de carboidratos, altamente calórico, que vai propiciar o ganho de peso quando consumido em excesso.
Todo carboidrato vai ser transformar em açúcar, portanto, as pessoas que estão em dieta para perder peso e diabéticos precisam estar atentos.


4102241982_b8a4fd5901_o

listao alimentos COM e SEM Glúten

Lista de alimentos COM e SEM Glúten



Dizem os experientes na matéria, que as melhores dietas são aquelas que não contém glúten, mas o que muitas pessoas não sabem, é quais os alimentos que podem comer, e não podem comer, numa dieta sem glúten.

O que é o Glúten?

O Glúten é uma proteína, que é composta pela mistura de outras 2 proteínas: gliadina e glutenina.
Estas 2 proteínas podem ser encontradas nos mais diversos cereais, tais como: trigo, aveia, centeio e cevada!
Qualquer alimento que contenha um destes cereais, contém glúten, mesmo que seja em pequenas quantidades.

Lista de alimentos por ordem alfabética que contém glúten

Caso seja intolerante ao glúten, cuidado com os alimentos que come… Veja aqui nesta lista, os alimentos que contém glúten, e que caso não possa comer glúten, deve evitar:
  • Arroz Instantâneo;
  • Barrinhas de cereais;
  • Biscoito;
  • Bolacha;
  • Bolos;
  • Cachorro quente;
  • Caldo de carne;
  • Carnes empanadas;
  • Cereais;
  • Cerveja;
  • Cones de sorvete;
  • Cupcakes;
  • Curry em pó;
  • Donuts;
  • Gérmen de trigo;
  • Hambúrguer;
  • Hóstia da igreja;
  • Ketchup;
  • Macarrão;
  • Maionese;
  • Massas;
  • Massas de torta;
  • Molhos brancos;
  • Molho de soja;
  • Panquecas;
  • Pão;
  • Patê de carne;
  • Pizza;
  • Queijos (alguns);
  • Salgadinhos;
  • Salsicha;
  • Sêmola de trigo;
  • Shoyo;
  • Sopas desidratadas
  • Sorvetes;
  • Temperos industrializados;
  • Triguilho;
  • Torrada;
  • Xaropes e alguns remédios (fale com o seu médico para saber mais sobre medicamentos que contém glúten)
Basicamente todos os alimentos que contenham cereais, amido, trigo, etc, na sua composição! Atenção, muitos destes produtos já são vendidos no mercado, sem glúten! Leia com atenção o rótulo dos produtos que irá comprar, porque muitos deles não contém glúten

Depois de uma lista deste tamanho, a pergunta será: Então mas quais são os alimentos sem glúten?

Aqui tem a lista:

Lista de alimentos por ordem alfabética SEM glúten

Se não pode comer alimentos com glúten, tem aqui uma lista de alimentos sem glúten que pode obtar, constituida por: verduras, frutas e carnes.
Caso seja doente celíaco, a não ser que os outros alimentos tenham a indicação de que são livres de glúten, os alimentos que tem a certeza que não tem glúten são estes mesmo…

Frutas

No seu estado natural, as frutas não contém glúten, segue aqui a lista de frutas que pode comer sem problemas que não contém glúten.
  • Abacaxi
  • Açaí
  • Alfarroba
  • Ameixa
  • Amora
  • Banana
  • Caqui
  • Cereja
  • Cranberry
  • Damasco
  • Figo
  • Framboesa
  • Goiaba
  • Groselha
  • Kinkan
  • Kiwi
  • Laranja
  • Lima
  • Limão
  • Maçã
  • Mamão Papaia
  • Manga
  • Maracujá
  • Marmelo
  • Melancia
  • Melão
  • Meloa
  • Mexerica
  • Mirtilo
  • Morango
  • Pêra
  • Pêssego
  • Tâmara
  • Tamarindo
  • Tangerina
  • Uva

Vegetais

Tal como a fruta, os vegetais também são alimentos sem glúten. Veja a lista de vegetais sem glúten:
  • Abacate
  • Abóbora
  • Agrião
  • Aipo
  • Alcachofra
  • Alface
  • Alfafa
  • Alga
  • Alho
  • Araruta
  • Aspargo
  • Batata (inglesa e doce)
  • Beringela
  • Brócolis
  • Cebola
  • Cenoura
  • Cogumelos
  • Couve
  • Couve de Bruxelas
  • Couve-Flor
  • Ervilha
  • Espinafre
  • Feijão
  • Feijão Verde
  • Milho
  • Nabo
  • Pepino
  • Pimenta
  • Quiabo
  • Rabanete
  • Repolho
  • Rúcula Salsa

Carnes

As carnes são livres de glúten, desde que não sejam carnes empanadas, ou com molhos! Evite os molhos de carnes, geralmente são molhos que contém glúten. Veja aqui a lista de carnes sem glúten:
  • Búfalo
  • Cabra
  • Codorna
  • Coelho
  • Cordeiro
  • Galinha
  • Ganso
  • Pato
  • Peru
  • Porco
  • Vaca
  • Vitela

Ovos, Lactícinios e Derivados

  • Caseína
  • Creme
  • Creme Azedo
  • Iogurte – puro e sem sabor
  • Leite
  • Manteiga (certifique-se que não contém aditivos)
  • Ovos
  • Queijos (alguns!!! nem todos são livres de glúten, alguns contém glúten! cuidado)
  • Soro de Leite

Farinha, grãos e trigo

Cuidado aqui!!! As farinhas, grãos e trigos são os alimentos que contém glúten!! Mas ainda assim existem algumas excepções de farinhas, grãos e trigo sem glúten. Veja aqui a lista de farinhas, grãos e trigos sem glúten:
  • Amaranto
  • Amido de milho
  • Araruta
  • Arroz
  • Arroz integral
  • Besan
  • Dal
  • Farinha de Amêndoas
  • Farinha de arroz integral
  • Farinha de batata
  • Farinha de Ervilha
  • Farinha de Feijão
  • Farinha de Inhame
  • Farinha de milho
  • Farinha de Soja
  • Farinha de Tapioca
  • Fubá
  • Iúca
  • Levedo
  • Mandioca
  • Milhete
  • Pipoca – sem molhos
  • Polenta
  • Quinoa
  • Sagu
  • Semente de algodão
  • Semente de Linhaça
  • Teff
  • Trigo sarraceno

Outros alimentos que não contém glúten

  • Álcool (excepto a cerveja!!!)
  • Baunilha
  • Bicarbonato de Sódio
  • Calda
  • Castanhas
  • Ervas
  • Gelatina
  • Geléia
  • Goma Xantana
  • Mel
  • Óleos
  • Sementes
  • Suco
  • Temperos (alguns!!! verifique os rótulos)
  • Vinagre
  • Vinho
  • Vitaminas
Para além desta lista de alimentos sem glúten, existe ainda mais alimentos que não contém glúten, que hoje em dia, estão identificados nos seus rótulos que são livres de glúten! Alguns pãos, cereais, etc, produtos que geralmente consideramos que contém glúten, muitos deles já são feitos com farinhas e trigos sem glúten, sendo que não contém glúten. Mas atenção!!! – Veja sempre os rótulos do que compra e do que consome para verificar se contém ou não glúten.

alimentos sem glúten listão


Os alimentos sem glúten são:
  • Frutas;
  • Legumes e verduras;
  • Carnes e peixes;
  • Farinha de arroz, mandioca, amêndoa, milho, feijão, ervilha, soja, inhame;
  • Arroz, milho, amaranto, araruta, trigo sarraceno, quinoa;
  • Amido de milho (popular maisena);
  • Tapioca;
  • Fécula de batata;

    Frutas

    Frutas são livres de glúten em seu estado natural. Certifique-se de lavar todos antes de usar.
  • Açaí
  • Maçã
  • Damasco
  • Banana
  • Amora
  • Mirtilo
  • Meloa
  • Alfarroba
  • Cereja
  • Cranberry
  • Groselha
  • Tâmara
  • Figo
  • Uva
  • Goiaba
  • Melão
  • Kiwi
  • Kinkan
  • Limão
  • Lima
  • Mexerica
  • Manga
  • Laranja
  • Mamão Papaia
  • Maracujá
  • Pêssego
  • Pêra
  • Abacaxi
  • Ameixa
  • Caqui
  • Marmelo
  • Framboesa
  • Morango
  • Tamarindo
  • Tangerina
  • Melancia

Vegetais

Vegetais também são alimentos sem glúten naturalmente.
  • Alfafa
  • Alga
  • Araruta
  • Alcachofra
  • Rúcula
  • Aspargo
  • Abacate
  • Feijão
  • Brócolis
  • Couve de Bruxelas
  • Couve-Flor
  • Repolho
  • Cenoura
  • Aipo
  • Milho
  • Pepino
  • Beringela
  • Alho
  • Feijão Verde
  • Couve
  • Alface
  • Cogumelos
  • Quiabo
  • Cebola
  • Salsa
  • Ervilha
  • Pimenta
  • Batata (inglesa e doce)
  • Abóbora
  • Rabanete
  • Espinafre
  • Nabo
  • Agrião

Carnes

Carnes sempre são livres de glúten, a menos que sejam processadas com pães ou empanadas com farinha de pão. Evite molhos de carne, já que a maioria contém glúten.
  • Jacaré
  • Vaca
  • Búfalo
  • Galinha
  • Pato
  • Cabra
  • Ganso
  • Cordeiro
  • Porco
  • Coelho
  • Cobra
  • Peru
  • Codorna
  • Vitela

Ovos e Laticínios

  • Manteiga (certifique-se de não conter aditivos)
  • Caseína
  • Queijo
  • Creme
  • Ovos
  • Leite
  • Creme Azedo
  • Iogurte – puro e sem sabor
  • Soro de Leite

Farinha, Grãos e Trigo

É aqui que você tem que tomar cuidado e prestar muita atenção!
  • Farinha de Amêndoas
  • Amaranto
  • Araruta
  • Farinha de Feijão
  • Besan
  • Arroz integral
  • Farinha de arroz integral
  • Trigo sarraceno
  • Mandioca
  • Farinha de milho
  • Fubá
  • Amido de milho
  • Semente de algodão
  • Dal
  • Semente de Linhaça
  • Milhete
  • Farinha de Ervilha
  • Polenta
  • Pipoca – sem cobertura
  • Farinha de batata
  • Quinoa
  • Arroz
  • Sagu
  • Farinha de Soja
  • Farinha de Tapioca
  • Farinha de Inhame
  • Teff
  • Levedo
  • Iúca

Outros alimentos sem glúten

  • Álcool (a maioria, menos a cerveja, a menos que seja sem glúten)
  • Bicarbonato de Sódio
  • Ervas
  • Mel
  • Geléia
  • Gelatina
  • Suco
  • Castanhas
  • Óleos
  • Sementes
  • Temperos (a maioria)
  • Calda
  • Baunilha
  • Vinagre
  • Vitaminas
  • Vinho
  • Goma Xantana
Essa lista te ajudará quando você não tiver certeza se pode comer um alimento. Pergunte muito quando vai comer fora ou fazer compras. Leia todos os rótulos e tenha cuidado com o glúten escondido nos seus alimentos. Evite molho shoyu, molhos de salada, molhos de carne, caçarolas, farinha de pão, frios e cerveja – a menos que seja cerveja sem glúten.
Publicidade
Agora pode parecer que não é possível comer uma dieta sem glúten, mas não é difícil, apenas dê uma olhada no exemplo de cardápio sem glúten. Você precisa tomar cuidado e ter certeza de que os alimentos que está comendo são livres de glúten. A melhor regra é evitar alimentos processados e comer mais alimentos integrais.
Muitas empresas fazem alimentos sem glúten e comprá-los nunca foi tão fácil. Há até sites que vendem alimentos sem glúten e entregam na sua casa. Leia os rótulos, cheque informações e pergunte!
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)
Publicidade

Por que você precisou ou resolveu procurar por alimentos sem glúten? Quais alimentos são ou seriam mais difíceis ficar sem comer para você, em uma dieta sem glúten? Comente abaixo.

dicas para tirar o glúten da dieta


dicas para tirar o glúten da dieta

Elimine esta proteína do cardápio sem sofrer com excesso de proibições ou falta de nutrientes

 Quem sofre com a doença celíaca não tem escolha, a não ser banir a ingestão de glúten - proteína contida em alimentos como trigo, aveia, centeio, cevada e malte de cereais. Se a restrição não for obedecida, anticorpos reagem e atacam a mucosa intestinal.

"Além de uma inflamação grave, o paciente fica com a absorção de nutrientes prejudicada", afirma o Roberto Navarro, nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Os sintomas mais comuns da doença celíaca são diarreia crônica, estufamento abdominal, flatulência e até dermatite. Nos casos mais graves, a desnutrição pode prejudicar o funcionamento do organismo. Para eliminar esta proteína da dieta sem sofrer com o excesso de proibições ou falta de nutrientes, veja as dicas dos especialistas.

Cuidado com os utensílios

Pode ocorrer uma contaminação cruzada quando utensílios usados no preparo de receitas com glúten forem usados parar preparar outras livre desse nutriente. "O reaproveitamento de gordura de fritura não é recomendado nunca, mas para quem é celíaco esse cuidado deve ser maior. Nunca deve ser utilizado um óleo onde foi feito pastel para fritar batata, porque o glúten da massa do pastel contamina o óleo e a batata, que seria isenta de glúten, por exemplo", afirma a nutricionista Flávia Morais, coordenadora da loja de produtos naturais Mundo Verde. A moagem de grãos também merece cuidado: usar o mesmo aparelho para moer milho (ou outro grão livre de glúten) e aveia ou trigo causa a contaminação do primeiro com a proteína.

MELHORA A VISÃO: ESPETACULAR RECEITA DE UM OFTALMOLOGISTA RUSSO




A MISTURA MÁGICA QUE MELHORA A VISÃO: ESPETACULAR RECEITA DE UM OFTALMOLOGISTA RUSSO



A babosa é uma planta maravilhosa, capaz de curar várias doenças, inclusive o câncer, conforme diversos relatos.
Isso acontece graças às suas poderosas propriedades terapêuticas.
Uma das melhores maneiras de tirar proveito dos benefícios dessa planta é preparando um suco.
O suco da babosa ajuda a tratar problemas digestivos e é ótimo para cura de inflamações no estômago e intestino.
Quer  saber mais?
O suco da babosa estimula o sistema imunológico e tem propriedades antibacterianas que auxiliam na saúde  bucal.
Além disso, devido à sua alta taxa de proteína e colágeno, é uma ótima opção para perda de peso.
Fantástico, não?
É uma verdadeira bomba de vitaminas que fortalece o  organismo inteiro!
E hoje vai conhecer outra virtude da babosa: sua capacidade de melhorar a visão.
Quem descobriu isso foi um dos maiores oftalmologistas da Rússia, o professor Vladimir Filatov.


O mestre da oftalmologia Vladimir Filatov foi um dos primeiros da área médica a reconhecer o valor e o uso medicinal da babosa.
O dr. Filatov recomendava aos seus pacientes o uso da babosa em vários tratamentos.
E, uma de suas receitas, nós vamos ensinar agora:
 
INGREDIENTES
100 gramas de gel de babosa
500 gramas de nozes trituradas
300 mL de mel
O suco de 4 limões espremidos na hora
MODO DE PREPARO
Primeiro vamos extrair o gel da babosa: lave bem uma folha da planta.
Descasque-a e, com uma colher, retire o gel, popularmente conhecido como "baba" (vem daí o nome "babosa": baba = babosa)
Misture com os outros ingredientes.
Você deve tomar uma colher  (sopa) da mistura 3 vezes ao dia, 30 minutos antes de cada refeição.
Guarde em um vidro escuro na geladeira.
Atenção!
É importante não exceder a dose diária recomendada, pois podem ocorrer reações alérgicas.
Não  recomendamos  tomar o suco de babosa em algumas doenças e condições:
- Insuficiência renal aguda
- Durante a gravidez
- Doenças do sistema cardiovascular na fase de descompensação
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

---------------------------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

emagrecer,dieta,abnoplastia,

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

a cura

As receitas e dicas aqui dispostas são uma orientação, prática e fácil, àqueles que desejam utilizar de plantas e ervas que estão a disposição de todos. Portanto, o conteúdo que aparece no Receita Natural NÃO oferece uma alternativa segura contra doenças, são apenas de caráter informativo ou complementar. Sempre procure um médico ou especialista para um diagnóstico preciso e um tratamento correto para seu caso.