emagrecer,dieta,abnoplastia,

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

Mostrando postagens com marcador academia online. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador academia online. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 27 de abril de 2017

água de aveia ajudar a perder peso

Você sabia que a água de aveia também pode ajudar a perder peso? Contamos como elaborá-la e como você pode incluí-la na sua dieta para que seja mais eficaz.
Poucos alimentos podem ser tão saudáveis como a aveia. Os estudos realizados sobre ela nos dizem que é um maravilhoso regulador metabólico, isto é, depurará tudo aquilo que está sobrando em nosso organismo e cobrirá as carências. Auxilia o coração, o intestino, sem esquecer, é claro, que nos ajuda a perder peso com seu consumo frequente, quer saber mais?

A FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) nos diz que é um dos alimentos mais saudáveis que podemos encontrar, uma fonte de energia e vitalidade que deveríamos incluir diariamente em nossa dieta. Trataria-se, pois, de um modo muito natural mediante o qual podemos perder peso sem sofrer muito e, melhor ainda, sem passar fome. Neste artigo explicaremos como.

1. Reduz o colesterol e cuida do nosso coração

Basta tomar uma infusão de aveia em jejum para reduzir o colesterol. Seus óleos ricos em ômega 6 e ácido linoleico constituem as chamadas gorduras boas, capazes de reduzir o colesterol ruim e cuidar do nosso coração.

2. Reduz as calorias

A aveia tem poucas calorias e dispõe também de um efeito saciante. Suas gorduras são muito saudáveis, contém fibra, vitaminas, minerais, oligoelementos e fibra. É, sem dúvida, um superalimento.

3. Depurativa

Dispõe de aminoácidos que nos induzem a produzir lectina no fígado, necessário para nos ajudar a depurar o nosso organismo. Consumir aveia nos permitirá limpar as paredes das artérias, limpando, graças às suas fibras, os depósitos de gordura que nelas se formam.

4. Controla o açúcar

A aveia é bastante recomendada para os diabéticos. Sua fibra solúvel melhora a digestão de amido e mantém estáveis os níveis de glicemia. Um aliado maravilhoso para estes casos.

5. Melhora a digestão

A aveia reduz nosso ácidos biliares, facilitando o trânsito e evitando, assim, a prisão de ventre. Além disso, seus carboidratos são de absorção lenta, o que nos dá uma sensação de saciedade perfeita para ir perdendo alguns quilos e não termos a necessidade de comer muito ou ficarmos “beliscando”.

6. É anticancerígena

São muitos os estudos que foram realizados a este respeito, concluindo que determinados fitoquímicos da aveia nos ajudam a nos proteger contra o câncer. Mais um motivo para consumi-la diariamente.

Por que a água de aveia nos ajuda a perder peso?


  •  A água de aveia em jejum nos ajuda a perder peso porque sua composição, a base de vitaminas, minerais e fibra, nos dá uma sensação de saciedade, mediante o que não sentiremos a necessidade de ficar beliscando, nem comeremos muito.
  • Dá ao organismo propriedades benéficas enquanto, pouco a pouco, perdemos peso.
  • A aveia elimina todas as toxinas que o nosso corpo vai gerando e armazenando. Se nos nutrimos com sua água, ela nos dará proteínas, além de vitaminas, minerais e oligoelementos.
  • É, além disso, diurética, impede o acúmulo de líquidos em nosso corpo e nos faz sentir melhor

Como consumir a água de aveia para perder peso?

1. Quanto consumir?

Com o intuito de emagrecer, deve-se consumir a água de aveia em jejum durante um mês seguido. Isto permitirá que fiquemos saciados por quase toda a manhã e nos dará energia e fibra para começar o dia. Também podemos tomar outro copo antes das principais refeições.

2. Como consumir?

  • Pegar uma xícara de aveia, um ramo da canela em pau e dois litros de água.
  • Em um liquidificador, colocar a aveia junto com um copo de água e bater até obter uma mistura homogênea. Depois pode incluir o restante da água, a canela, algum adoçante, se desejar, ou, ainda melhor, stévia ou duas colheres de mel. Se restar algum grão da aveia, você pode coar esta batida. Depois, coloque a água na geladeira, pois, dessa forma, você a conserva durante todo o dia. Comece o café da manhã com um copo, depois é ideal bebê-la antes das refeições, pois ajudará na saciedade e na nutrição.

3. Exemplo de um dia de dieta com água de aveia:

  • Café da manhã: um copo de água de aveia, uma maça e um chá de sua preferência.
  • Almoço: um copo de água de aveia como bebida. Salada de espinafre, com aspargos e nozes e um peito de frango grelhado.
  • Lanche da tarde: um chá verde.
  • Jantar: um copo de água de aveia. Berinjelas ao forno e algumas rodelas de beterraba temperadas com suco de limão. De sobremesa, uma maça assada com canela.
Como você pode ver, o mais importante é começar o dia com um copo de água de aveia e inclui-la como bebida nas refeições principais, sempre equilibradas e sem cometer excessos. Se fizer esta dieta durante um mês, perceberá que aos poucos irá baixando seu peso.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Low-Carb O que comer? Low carb alimentos permitidos


O caminho mais curto seria falar do que NÃO COMER na alimentação low carb.
Mas para que fique claro a gigante variedade de COMIDA DE VERDADE que temos à disposição e que nos garantem nutrição, emagrecimento e manutenção, vou listar abaixo os alimentos que devem ser consumidos em um estilo low carb de comer:

Low carb alimentos permitidos | Carnes de todos os tipos.

Carne de verdade, in natura.
Tem boas linguiças por aí, mas a maioria a venda contém açúcar e amido na composição.
Salsichas e nuggets não são carne e são cheias de amido.
Evite comprar carnes já temperadas, faça o seu próprio tempero em casa.
Resumindo: Peixes, crustáceos, frango, porco, boi, minhocas. Ok, não precisa comer minhocas, mas você poderia se quisesse. Coma a carne que achar mais gostosa. Bacon inclusive!

 guia completo alimentos permitidos clique aqui
Grilled chicken wings with fresh vegetables. Baked chicken meat with lettuce and tomatoes cherry. Homemade meat on wooden table.
Não é necessário se preocupar com a gordura da carne, coma os seus cortes favoritos na quantidade que quiser.
Leia mais sobre isso nesse artigo onde falo sobre a gordura na alimentação low carb.
Sabia que o consumo de carne na alimentação low carb pode muito bem continuar exatamente o mesmo de antes? Nesse artigo eu explico porque low carb NÃO É a dieta da Proteína.

Low carb alimentos permitidos | Verduras de todos os tipos.

Se você não curte uma saladinha, talvez low carb não seja a melhor estratégia de alimentação para você.
Eu sempre fui maluca por salada e acho que isso é um importante componente de sucesso. E se não curte, faça um esforço. Aquilo que eu sempre falo da força do HÁBITO. Comece com pequenos passos, pequenas mudanças. Põe bastante azeite de oliva e salzinho. Refoga com bacon e creme de leite.
Resumindo: folhas verdes (como alface, rúcula, agrião, escarola, endívia, couve, repolho, espinafre), abobrinha, brócolis, tomate, cebola, alho, pimentão, alcachofra, chuchu, aspargos, palmito, rabanete, pepino, berinjela, quiabo, vagem, couve-flor.
Grilled skewers of chicken and vegetables. Shallow DOF
Uma observação especial sobre batata, cenoura, beterraba e mandioca: esses caras são deliciosos mas são lotados de carboidratos.
Se precisar emagrecer, abra mão deles até chegar ao seu peso ideal, e depois vá inserindo aos poucos, vendo como seu peso reage.

guia completo alimentos permitidos clique aqui


Dicas Para Ter Sucesso Na Low-Carb


domingo, 16 de abril de 2017

Aroeira Tira Mau hálito, Corrimento Vaginal e sara Feridas rápido�� Erva ...



Em infusão ou decocção, este chá pode ajudar em casos de
doenças como do trato urinário, problemas com os órgãos digestivos,
diarreias entre outras.Benefícios do chá de aroeira


A aroeira mansa é uma árvore de porte pequeno, que tem muitas
propriedades em suas folhas e casca. Sendo usada para diversas
aplicações, seja na forma de chá ou até de banhos e compressas.


Esta não deve ser confundida com as aroeiras brancas ou bravas, que
causam efeitos adversos como a urticária, edemas e eritemas. Também são
espécies de aroeira-mansa: aroeira do campo, almecegueira e lentisco,
rasteira, mole e outras.Historicamente a aroeira foi utilizada pelos jesuítas que, com sua
resina, preparavam o Bálsamo das Missões , famoso no Brasil e no
exterior. A planta inteira é utilizada externamente como antisséptico no
caso de fraturas e feridas expostas.

Imagem da planta

Propriedades terapêuticas

Anti-diarréica, antileucorreica, adstringente, balsâmica,
diurética, emenagoga, purgativa, estomáquica, tônica, vulnerária,
anti-inflamatória, fungicida e bactericida.


Indicações Terapêuticas

Azia, gastrite, febre, cistite, uretrite, diarreia, blenorragia, tosse, bronquite, reumatismo, íngua, dor de dente, gota e ciática. 


As folhas da planta são balsâmicas e frequentemente usadas
para curar feridas, erisipela, infecções cutâneas causadas por
bactérias, entre outras. O chá das folhas é aplicado em compressas
nesses casos. Assim também quando o caso é de doenças reumáticas,
artrite, distensão de tendões, dores ciáticas e gota, sendo aplicadas
massagens ou compressas e banhos bem quentes.



Preparo do chá de aroeira

Uso interno:


Adicionar 100 gramas do pó das cascas de Aroeira em 1 Litro
de água fervente, tomar 3 a 4 colheres de sopa ao dia. Pode-se adoçar
com 01 colher de açúcar ou adoçante ou Fazer a decocção de um litro de
água com 3 ou 4 pedaços (20 ou 30g) da casca de aroeira por 15 minutos
e, depois de frio, deixar na geladeira e beber durante o dia.


Uso externo:


O chá pode ser usado em banhos e lavagens, de preferência
mornos. Para preparar banhos: cozinha-se 1 litro de água com 25g de
cascas da planta e toma-se um banho bem quente por quinze minutos, muito
utilizado em casos de afecções de pele e reumatismo.


Para fins terapêuticos são utilizados as folhas, cascas e sementes da planta



terça-feira, 22 de março de 2016

alimentos funcionais para o combate da celulite

Foto de Nutricionista Barbara Pott - Nutrição Funcional e Esportiva.

 alguns alimentos funcionais para o combate da celulite.
1. Abacate: estimula o hormônio do crescimento (GH) o qual vai melhorar a flacidez, deixando a pele mais firme. Para os praticantes de atividade física ajuda no ganho de massa muscular.
2. Frutas vermelhas (amora, morango, mirtilo, framboesa): fonte de ácido elágico que tem efeito antioxidante e ajudará no combate dos radicais livres. Combatendo os radicais livres, diminuímos os danos nos tecidos que causam a celulite.
3. Pimenta: rica em capsaicina, que além de ter ação antioxidante, é descongestionante e termogênica, auxiliando na perca de gordura localizada.
4. Gengibre: altamente anti-inflamatório e termogênico, ajudando a eliminar o excesso de gordura no tecido.
5. Atum: rico em ômega 3, ajuda a reduzir a inflamação no local. Devido ao teor proteico de alto valor biológico, auxilia também na manutenção da massa muscular, novamente, reduzindo a flacidez.
Aposte em alimentos funcionais! E não são apenas 5 que combatem a celulite, temos outros alimentos capazes de melhorar ela como romã, repolho, uva rubi... Outro detalhe importante, não adianta incluir estes alimentos e continuar comendo doces, preparações com farinhas refinadas, frituras e ser sedentário.
Torne sua alimentação mais equilibrada, comendo apenas alimentos de verdade, que venham da natureza e não PRODUTOS que imitam o alimento, que a indústria inventa com vários aditivos químicos e muito açúcar que só detonam nossa saúde, nossa pele, causam várias outras desordens estéticas (além da celulite) e fazem uma bagunça nos nossos hormônios.
Um abençoado feriado!!! Aproveitem para cuidar da saúde e da alimentação nesses dias de menos correria! Ame-se!!!! Viva mais!!!!

! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

agua quente X gelada


! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O KAMBÔ A VACINA DO SAPO


O KAMBÔ

A VACINA DO SAPO




A rã verde - Phyllomedusa bicolor, apelidada de sapo Kambô, é a maior espécie do gênero da família Hylidae, encontrada no sul da Amazônia e em todo o território do Acre, podendo ser encontrado também em quase todos os países amazônicos, como as Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia. Principalmente no período das chuvas, sob árvores próximas aos igarapés. Onde coaxam por toda noite, anunciando chuva no dia seguinte. 

Mas, é na madrugada, que são "colhidos" pelos pajés e xamãs tribais a fim de retirarem sua secreção cutânea, para fazer a "vacina do sapo". 

O kambô é uma rã Amazônica cuja secreção é um antibiótico natural poderoso capaz de combater e eliminar distúrbios no ser humano, elevando o sistema imunológico. 

Médicos que já tomaram e pesquisaram o Kambô dizem e acreditam que ela possa ser eficaz no tratamento que vai do Câncer à AIDS, e qualquer outro tipo de distúrbio crônico ou não, pois ela atua como um reforçador do sistema imunológico destruindo as membranas celulares das bactérias. 

O Kambô é um remédio indígena e para os pajés a doença é um espírito negativo que combate a pessoa. O índio toma o Kambô para afastar o inimigo, também para tirar o desânimo, falta de vontade para caçar, namorar, má sorte, tristeza, fraqueza mental, espiritual, física, baixa estima e desarmonia com a natureza. 

Na floresta Amazônica esse remédio é indicado porque traz felicidade para quem a toma, como também, para trazer sorte ao caçador que anda com má sorte. Quando se toma o Kambô a caça se aproxima curiosamente do caçador; pois quem a toma emite um tipo de luz verde, e é isso que faz a caça se aproximar. Também serve para desentupir as veias do coração fazendo circular a emoção, o sentimento e o amor. 

Uso Tradicional 

Tomar a vacina do sapo é uma prática antiga com fins medicinais, muito difundida entre os povos indígenas do Brasil e do Peru. A "medicação" consiste em uma secreção cutânea retirada da rã Kambô (Phyllomedusa bicolor). A finalidade mais procurada é "tirar a panema", ou seja, afastar a má sorte na caça e com as mulheres. Existem variações nos rituais e nomes dados ao sapo verde. Na história antiga dos Kaxinawás, o sapo kampu (nome utilizado pelo povo Kaxinawá), era o chefe do "nixi pëi", bebida preparada com o cipóBanisteriopsis caapi (mesmo cipó que produz a Ayahuasca). 

Já os Katukinas, nunca os matam, pois dizem que poderão ser picados por cobras, onde a vacina é o veneno retirado do sapo kambô. Para os Ashaninkas, quando o sapo wapapatsi canta perto da casa, o dono tem que apanhá-lo, queimar os pulsos e dormir. Bem cedo, tem de preparar um mingau bem forte e bater nas costas do sapo, para ele soltar o veneno que será passado sobre a pele. Entretanto, o remédio somente terá resultado, se o caçador seguir as regras. 

A vacina do sapo é considerada um remédio para muitos males pelas populações indígenas da floresta Amazônica, curando desde amarelão até dores em geral. Hoje, a vacina do sapo é utilizada também por seringueiros e vem sendo aplicada por alguns curandeiros nas cidades de Cruzeiro do Sul/AC e Rio Branco/AC. 

O efeito da vacina do sapo é curto, porém muito forte: "uma forte onda de calor, que sobe pelo corpo até a cabeça. A dilatação dos vasos sanguíneos parece provocar uma circulação mais veloz do sangue, deixando o rosto vermelho e, em seguida a pessoa fica pálida, a pressão baixa, podendo provocar náuseas, vômito e/ou diarréia. Durando cerca de 15 minutos. Sensação desagradável, que aos poucos retorna a normalidade, e a pessoa se sente mais leve, como se tivesse feito uma boa limpeza, causando uma maior disposição". 

Pesquisa internacional 

Pesquisas científicas vem sendo realizadas sobre as propriedades da secreção daPhyllomedusa bicolor desde a década de 80. O primeiro a "descobrir" as propriedades da secreção para a ciência moderna, foi um grupo de pesquisadores italianos. Amostras das rãs foram levadas do Peru por um pesquisador para os EUA. (Pesquisador que já tinha pesquisado e patenteado anteriormente substâncias da rã Epipedobates tricolor, utilizada tradicionalmente pelos povos indígenas do Equador). 

Também foram publicadas pesquisas sobre as propriedades da secreção por pesquisadores franceses e israelitas. Mais recente, a Universidade de Kentucky (EUA) está pesquisando (e patenteando) uma das substâncias encontradas na secreção do sapo em colaboração com a empresa farmacêutica Zymogenetics. 

Diversos laboratórios internacionais já estão interessados no veneno do kambô para desenvolver um medicamento que pode levar à cura do câncer. 

Resultados surpreendentes 

As pesquisas revelaram que a secreção do Phyllomedusa bicolor contém uma série de substâncias altamente eficazes, sendo as principais a dermorfina e a deltorfina, pertencentes ao grupo dos peptídeos. Estes dois peptídeos eram desconhecidos antes das pesquisas com o Phyllomedusa bicolor. Dermorfina é um potente analgésico e deltorfina pode ser aplicada no tratamento da Ischemia. (um tipo de falta de circulação sanguínea e falta de oxigênio, que pode causar derrames). As substâncias da secreção do sapo também possuem propriedades antibióticas e de fortalecimento do sistema imunológico e ainda revelaram grande poder no tratamento do mal de Parkinson, AIDS, câncer, depressão e outras doenças. A Deltorfina e Dermorfina hoje estão sendo produzidos de forma sintética pelos laboratórios farmacêuticos. 

Doenças combatidas pelo kambô 

O medicamento vem sendo desenvolvido e mostrado bons resultados nas pessoas que se encontram com dores e inflamação em geral: musculares, coluna, ciática, artrite, reumáticas, tendinite, enxaqueca e outros. Cansaço nas pernas, dor de cabeça crônica, asma, bronquite, rinite, sinusite, acne, alergias, gastrite, úlcera, diabetes, pressão arterial, obesidade, problemas circulatórios, formigamento, retenção de líquido, colesterol, cateterismo, doenças do coração em geral, hepatite, cirrose, malária (aguda) e pós malária, labirintite, epilepsia, TPM, irregularidades menstruais, infertilidade, impotência, redução da libido, depressão e suas conseqüências, ansiedade, insônia, irritação, insegurança, nervosismo, medo, stress, fadiga, sistema nervoso abalado, esgotamento físico, mental, emocional, desintoxicação, dependência química e tabagismo são algumas das possíveis doenças tratadas pela Vacina do Sapo. 

Trata distúrbios nos órgãos genitais, pulmão, rim, vesícula, baço-pâncreas, bexiga, coração, estômago, intestino, tiróide, fígado, garganta. 

Reação 

A reação da vacina dura cinco minutos. Nesse tempo ocorrem limpeza no campo físico, energético, emocional e espiritual. 

Após cinco minutos a sensação é de limpeza, leveza, tranqüilidade, bem estar, paz interior e conscientização do desequilíbrio ou distúrbio a ser tratado. Depois de 30 minutos da aplicação, a pessoa já está apta para suas atividades normais. 

O kambô é indicado para qualquer tipo de pessoa que tenha algum tipo de distúrbio ou desequilíbrio. Purifica o sangue e trata todos os processos agudos e crônicos do organismo. É também indicado para pessoas que aparentemente não apresentam nenhum sintoma, mas busca se conhecer e imunizar o corpo. Atua na percepção, intuição nos sonhos, 3ª visão, no inconsciente e nos bloqueios que impedem o fluxo da energia vital. Há contra-indicação no caso de mulheres grávidas e no ciclo menstrual, já que pode causar hemorragias, devido à dilatação dos vasos sangüíneos, assim como em crianças menores de dez anos. 

Aplicação é indolor e os efeitos imediatos 
A coleta da substância da rã é feita sem machucá-la, no tempo certo e na lua certa. Conhece-se o animal pelo canto. Logo que a secreção é retirada, ele é devolvido a mata. Após seis meses a rã pode ser reutilizada. 

Na aplicação não utilizam-se agulhas. São feitos os pontos para introduzir a vacina no organismo com um cipó em brasa (lembra um incenso), fazendo uma leve escamação na pele, em contato com a pele, retira um pedaço pequeno, deixando a circulação exposta, onde é aplicada a substância. O cipó usado é anti-inflamatório e após a aplicação não é necessários cuidados especiais, pois a cicatrização dos pontos é rápida. O tratamento é composto de três aplicações com intervalo de 30 dias para cada aplicação. 

A aplicação diferencia do sexo, nas mulheres, os pontos são feitos na batata (paturrilha) da perna. Nos homens são feitos no braço. 
! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

Medicamentos e Indicacoes cura tudo

Medicamentos e Indicacoes

Abacateiro:
abacate
  • Parte usada: Folha, fruto e semente. Usar de preferência as folhas mais velhas e dos abacateiros que tem os frutos em formato de pescoço e casca lisa.
  • Indicações: Retenção de líquidos no organismo, afecções das vias geniturinárias, cistites, uterites, perturbações hepáticas e deficiência de secreção biliar, nutritiva (fruto), creme de beleza (fruto).
  • Posologia:
  1. Coloque 3 g. (duas folhas) cortadas em pedaços bem pequenos em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e coloque sob as folhas. Abafe, coe e tome uma a duas xícaras ao dia.
  2. Decocto: Coloque uma folha de abacateiro, uma folha de goiabeira, uma folha de pitangueira, tudo cortado em pedaços bem pequenos em uma xícara e ½ de chá de água. Ferva por 3 minutos. Abafe, coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  3. Extrato: A semente ralada é colocada em 100 ml de álcool. Deixe descansar por uns três dias. Coe e faça fricções suaves nas partes doloridas.
Acácia-Bastarda
acácia
  • Partes usadas: Flores e folhas.
  • Indicações: Anemia, cefaléia, estômago, fígado, indigestão.
  • Posologia: Maceração: 15 a 20 g. de flores em 1 L. de vinho tinto, para preparar xaropes, e uma agradável água para toalete. As sementes e a casca não devem ser ingeridas. A raiz é tóxica, não obstante ter um sabor doce, pelo que deve ser proibido às crianças.
Açafrão
açafrão
  • Partes usadas: As estigmas, folhas e flores.
  • Indicação: Falta de apetite, bronquite, Má digestão, frigidez, problemas na gengiva, impotência, problemas de menstruação e tosse.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20 g. para 1 L. de água, tomam-se três xícaras diárias;
  2. Banhos: 30 g. para 1 L. de água.
Alcachofra
alcachofra
  • Parte usada: Flor e folha.
  • Indicações: Arteriosclerose, celulite, colesterol alto, diabetes, esterilidade, males do fígado, gota, obesidade, ureia, vesícula biliar, Insuficiência hepatobiliar, constipação e uricemia.
  • Posologia: Concentração do extrato seco – equivalente ao extrato fluido.
Acelga
acelga
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Abscessos, anemia, cistite, auxilia no crescimento, obstipação, pele, rins.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas: Feito com folhas cozidas e trituradas, tem efeito emoliente.
  2. Infusão: 20 g. em 1 L. de água, tomar de três a quatro xícaras diariamente.
Agrião
agrião
  • Parte usada: Caule e folhas.
  • Indicações: Acne, hepatite, boca, bronquite, cabelo, convalescência, dermatose, escorbuto, fígado, pele, sardas, tireoide, revitalizador do sangue.
  • Posologia:
  1. Suco: ½ xícara de seu suco fresco três vezes ao dia, para catarros pulmonares, afecções gastrointestinais, cálculos biliares e renais, icterícia, hidropisia e fígado.
  2. Infusão: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia.
Aipo
aipo
  • Parte Usada: Raiz, folhas e frutos.
  • Indicações: Albuminúria, artrite, contusão, lactação, litíase, meteorismo, tez, tosse, rins, dores de dentes e para o aparelho urinário.
Alcaçuz
alcaçuz
  • Parte Usada: Raiz, Rizoma (outono, 3º ano, secagem ao sol).
  • Indicações: Asma, oca, bronquite, cistite, conjuntivite, espasmos, estômago, úlceras, obstipação, tosse.
  • Obs.: Não abusar do consumo. Se ingerido em dose elevada pode causar hipertensão arterial devido a ação do ácido glicirrítico. Se ingerido em doses moderadas, o alcaçuz não oferece qualquer perigo. Para os grandes consumidores, geralmente os doentes de úlceras ou fumantes e alcoólicos que desejam mitigar as suas carecias, existem comprimidos preparados em laboratório isentos da substância que provoca a hipertensão.
Alecrim
alecrim
  • Parte usada: Folha e sumidade florida – Colher os ramos jovens na primavera e refutar os ramos mais velhos.
  • Indicação: Astenia, debilidade de qualquer tipo, hepatismo, colecistite, icterícia, congestão hepática, hepatomegalia, hepatite crônica, litíase biliar, menstruação insuficiente, dispepsia atônica, hemicrania digestiva, gota e reumatismo.
  • Posologia:
  1. Infuso ou decocto: Coloque três grs. Em uma xícara de chá de água fervente (100 ml). Abafar por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, duas a três vezes ao dia antes ou após as refeições.
  2. Tintura: 20% – Coloque 20 grs. Em 100 ml de álcool de cereal a 70 °C. Macerar por uma semana. Coe e tome uma colher de café em um pouco de água, duas a três vezes ao dia, antes ou após as principais refeições.
  3. Vinho: Coloque 30 grs. Em 1 L. de vinho branco. Deixar em maceração por 15 dias. Coe e beba em copos de licor (cálice) entes ou após as refeições.
  4. Geleia de flores: Derreter 750 grs. De açúcar em panela e cozinhar por 10 minutos. Deixar esfriar e juntar 75 grs. De flores de alecrim. Cozinhar por mais 10 minutos. Depois colocar nos potes, e quando ficar frio, tampar.
Alface
  • Indicações: Transtornos nervosos, afecções renais, dispepsia, constipação, insônia, palpitações, hipocondria, neuralgia, reumatismo, inflamações dos olhos e conjuntivite, blenorragias e inflamações da bexiga.
  • Posologia:
  1. Chá: 20 grs. Das folhas para 1 L. de água, cozinhar por 11 minutos. Tomar três xícaras diárias.
  2. Suco: Obtém-se liquidificando as folhas frescas com uma pequena quantidade de água, misturando com um pouco de suco de limão.
Alfafa
alfafa
  • Parte usada: Brotos, folhas.
  • Indicações: Anemia, atonia muscular, cansaço cerebral, debilidade geral, escorbuto, hemofilia e raquitismo, purifica o sangue, cura os rins e as enfermidades da bexiga e intestinos.
  • Posologia: Os brotos ternos da alfafa são considerados um alimento de grande valor nutritivo. Rico em vitamina K.
  1. Suco: Só ou com outros vegetais, é indicado como poderoso reconstituinte, pode ser acrescentado mel de abelhas e algumas gotas de limão.
  2. Infusão: 30 grs. De folhas frescas ou secas para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
Alfavaca
alfavaca
  • Parte usada: folhas ou flores.
  • Indicações: Aerofagia, afta, astenia, cefaleia, constipação, espasmo, estômago, picada de insetos, lactação, meteorismo, nervosismo, sonolência, treçolho, tosse, tosse convulsa, vômito, melancolia.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas das folhas frescas em caso de tumores e furúnculos.
  2. Infusão: Empregam-se 10 a 15 grs. Das folhas ou flores para 1 L. de água. Deixa-se repousar e tomam-se duas xícaras diárias. Para uso externo emprega-se 30grs. Para 1 L. de água.
Algas Marinhas
  • Parte usada: Planta inteira.
  • Indicações: Hipertireoidismo, disfunções renais, raquitismo, anemia, dispepsias, obesidade, celulite, flacidez, tireoide, disfunções glandulares, revitalizante, hidratante, tônico, depurativo, nutritivo.
  • Posologia: Concentração do Extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Aloé Vera
aloe vera
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Constipações crônicas, inflamações, queimaduras, eczemas, erisipelas.
  • Posologia:
  1. Chá: 10 grs. Das folhas para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Cataplasmas das folhas para feridas, tumores, inclusive câncer.
  3. Suco da planta: Para afecções da pele, eczemas, erisipela, queimaduras e inflamações dos olhos.
  4. Xarope: ½ kg de mel, duas folhas de aloé (aprox. ½ metro) três colheres de sopa de conhaque de alcatrão. Tirar os espinhos do aloé e cortar em pedacinhos, colocar o liquidificador com os demais ingredientes, bater, bater, guardar na geladeira e tomar três colheres de sopa por dia longe das refeições.
Alteia
alteia
  • Parte usada: Raízes, flores, folhas frescas ou secas, secagem à sombra ou em estufa.
  • Indicações: Bronquites, tosse, garganta irritada, inflamação bucal, afta, acne rosácea, angina, cistite, dentes, gengivas, obstipação, olhos, pele, insônia, indigestão, diarreia.
  • Posologia: Concentração do Extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Anis
anis
  • Parte usada: Folhas e sementes.
  • Indicações: Alterações do metabolismo, astenia psíquica, cólicas menstruais, gastrite, intoxicação intestinal, neuralgias e facilita o parto, inflamações dos olhos e abscessos.
  • Posologia: 20grs. Das folhas frescas ou secas ou sementes para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias do chá.
Arnica
arnica
  • Parte usada: Folhas e flores.
  • Indicações: Contusões, torceduras, reumatismo, neuralgias, flebite.
  • Posologia:
  1. Infusão: Para uso interno se emprega 10 grs. De folhas para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias.
  2. Para uso externo: Prepara-se um chá empregando 25 grs. De folhas ou flores em 1 L. de água, banhar o local da dor.
Aveia
  • Parte usada: Grãos.
  • Indicações: Indigestão, diarreia, desordens hepáticas e vesiculares, eczemas, astenia, banho, convalescência, auxiliar do crescimento, diabetes, envelhecimento precoce, esterilidade, impotência, pele, insônia, surmenage.
  • Posologia: Concentração do extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólido extraído.
Azedinha
azedinha
  • Parte usada: Folhas, flores e raízes frescas (perde suas propriedades na secagem).
  • Indicações: Afecções catarrais e das vias urinárias, febres, enfermidades da boca e aftas (mastigando as folhas), inflamação dos olhos (pingando duas a três gotas), Cataplasmas aliviam tumores, combatem feridas, problemas de pele, sarna e para sede.
  • Posologia: 20grs. Para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias.
Bananeira
  • Parte usada: Frutas, tronco e coração.
  • Indicações: estado de convalescência, astenia, fatiga muscular e nervosa, pulmões e bronquite.
  • Posologia:
  1. Fruto: Comer por 15 dias nas três refeições, bananas bem amassadinhas, a quantidade de um copo (200 ml), e nos intervalos das refeições tomar muita água.
  2. Tronco: O líquido extraído do tronco alivia hemorroidas, aplicando-se compressas. E tomando ½ copo do suco pela manhã em jejum limpa o pulmão.
  3. Xarope: Para bronquite: Cortar bem fininho dois corações do cacho da bananeira, colocar num pote de barro, despejar por cima ½ kg de mel e deixar repousar por 48 horas. Tomar três colheres por dia, longe das refeições. Tomar por 15 dias, descansar 15 e tomar novamente. Repetir o tratamento quatro vezes.
Bardana
bardana
  • Parte usada: A raiz, coletar no primeiro ano de cultivo, no outono. Consumir fresca ou seca. As folhas colhe-se antes da floração.
  • Indicação: Diabetes, furunculose, dermatose úmida e purulenta, acne, eczema, chagas, reumatismo, gota, litíase urinária.
  • Posologia:
  1. Decocto: Coloque cinco grs. Da raiz, cortada em pedaços bem pequenos, em 100 ml de água (uma xícara de chá). Ferver por 10 minutos. Manter em repouso por 15 minutos. Coe e tome uma xícara, três vezes ao dia, fora das refeições. Acrescentando um pouco de mel, pode também ser usada em compressas.
  2. Tintura: Coloque 20 grs. De raiz em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Macere por 10 dias. Coe e esprema o resíduo num pano. Tome uma colher (café) duas a três vezes ao dia com um pouco de água.
  3. Vinho: Coloque 20 grs. De raiz, cortada em pedaços bem, pequenos em ½ litro de vinho licoroso. Macerar por uma semana. Filtre e tome em cálice duas vezes ao dia.
Boldo
boldo
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Dispepsias, insuficiência hepato-biliar, estimula a secreção da bílis pela célula hepática e facilita o funcionamento da vesícula biliar, fígado e estômago.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Suco: aplica-se em manchas da pele provenientes de afecções hepáticas.
  3. Banhos: 40 grs. De folhas para 1 L. de água em casos de afecções da pele, sífilis e blenorragia.
  4. Vapores: em casos de infecções e dores de ouvido.
Calêndula
calendula
  • Parte usada: Flores.
  • Indicações: Dores de cálculos biliares, indigestão, dismenorreias, queimaduras, feridas, úlceras, contusões, frieira, furúnculo, menopausa, menstruação problemática, pele, queimaduras, úlcera cutânea, verrugas.
  • Posologia:
  1. Infusão: 10 grs. De suas flores ou folhas para 1 L. de água. Toma duas xícaras diárias.
  2. Suco: Em casos de queimaduras, chagas, sifilíticas e cancerosas, herpes e picaduras.
  3. Cataplasmas: Trituram-se as folhas frescas e aplicam-se em casos de calos, verrugas, tumores e abscessos.
  4. Fomentações: Em casos de golpes, quedas e torceduras.
Camomila
camomila
  • Parte usada: Flores: Os capítulos florais são colhidos antes de sua abertura completa. Secar à sombra em ambiente arejado, calor de 40 °C. As melhores são aquelas que não vêm acompanhadas de folhas ou pedúnculo floral.
  • Indicações: Nevralgias, indigestão, dismenorreia, feridas, afecções cutâneas, insônias, distúrbios da menopausa, espasmo doloroso do tubo gastrointestinal, gastrite, úlcera gástrica duodenal e enxaquecas.
  • Posologia:
  1. Infuso: 30ª cinco grs. De flores em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e coloque nas flores.  Abafe por 10 minutos. Coe e tome uma xícara três vezes ao dia, podendo adicionar o suco de 1/2limão por dose.
  2. Tintura: 20%: Coloque 20 grs. De flores em 100 ml de álcool de cereais a 70°. Deixe em repouso por uma semana, em lugar escuro. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher (café) três a quatro vezes ao dia com um pouco de água.
  3. Óleo medicamentoso: Coloque 30 grs. De flores em 100 ml de óleo de cozinha. Deixe em banho-maria durante 3 horas. Coe e esprema o resíduo. Use ainda morno para fazer massagens delicadas, para dores de ouvido, nevralgias, limpeza de crosta dos recém-nascidos.
  4. No caso de reumatismo, podem ser adicionadas 10 grs. De cânfora e fazer massagens suaves nas juntas doloridas e cobrir com uma flanela.
Capsicum – Pimentão-cornicabra, pimento comum
capsicum
  • Partes usadas: Frutos.
  • Indicações: Indigestão, dores reumáticas, artrite, hemorroidas, enjoos, alcoolismo, arteriosclerose, astenia, bronquite, cabelo, congestão, diarreia, pulmão, reumatismo, combate a alopecia.
  • Posologia:
  1. Decocto: 10 grs. em 1 L. de água. Ferve-se por 2 minutos, deixa repousar durante a noite e toma três xícaras diárias longe das refeições, para alcoolismo.
  2. Cataplasma quente do pó ou do fruto se aplicam sobre nevralgias, congestões, bronquite e dores pulmonares.
  3. Suco fresco: Para falta de apetite, astenias, vômitos e diarreias.
Carqueja
carqueja
  • Parte usada: Folhas e raízes.
  • Indicações: Fígado, bílis, cólicas hepáticas, cálculos renais, estômago, bexiga, diabete, impotência sexual, frigidez e infecundidade.
  • Posologia: Infusão de 20 grs. Da folha seca ou fresca para 1 L. de água. Tomar três xícaras diárias.
  • O pó da raiz em infusão. Uma colher para uma xícara de água fervendo.
Cascara Sagrada
cáscara
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Constipações crônicas, intestinos, enfermidades do fígado.
  • Posologia:
  1. Cozimento: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Pó – Em Infusão: uma colherzinha de café para uma xícara de água fervendo.
Castanha Da Índia
castanha india
  • Parte usada: Cascas e sementes.
  • Indicações: afecções do sistema venoso (varizes, hemorroidas, flebites varicosas), acne rosácea, banho, circulação, febre, frieira, menopausa, obesidade, combate a couperose.
Cavalinha – Rabo de cavalo
cavalhinha
  • Parte usada: Toda a planta.
  • Indicações: albuminaria, cistite, enfermidades dos rins, cálculos biliares e renais, reumatismo, gota, ciática, hemofilia, hemorragias e pólipos nasais, vômitos de sangue, apoplexia, arteriosclerose, combate obesidade, sudação, panarício, unha.
Cenoura
  • Parte usada: Tubérculo- raiz.
  • Indicação: Carênci9a de vitamina A, anemia, constipação, desordens hepáticas, abscessos, astenia, bronquite, bronzeamento, convalescença, crescimento, diarréia, envelhecimento precoce, epidemias, estômago, ferida, fígado, frieira, intestino, lactação, obstipação, olhos, parasitose, pele, prurido, queimadura, seios, tosse, úlcera cutânea.
  • Posologia:
  1. Usada crua, ralada ou ingerida em forma de saladas.
  2. Suco: Ralando-a o centrifugando-a, tomar o suco em seguida.
Cipreste
cipreste
  • Parte usada: Folhas e frutos.
  • Indicações: Varizes, hemorragias, menopausa, tuberculose, tosse comprida, próstata, circulação, diarréia, enurese, hemorróidas e bexiga.
  • Posologia: Para preparar o chá usam-se as folhas e os frutos da planta, 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia. Para banhos usam-se 50 grs. Para 1 L. de água.
Cissus Cissioydes – insulina vegetal
cissus
Obs. Há na América do Sul 53 espécies diferentes conhecidas.
  • Parte da planta: Folhas.
  • Indicação: Diabetes, cálculo biliar e problemas hepáticos.
  • Posologia:
  1. Chá;
  2. Tintura álcool de 70°. Adultos: 10 gotas três vezes ao dia em um pouco de água antes das refeições. Crianças: cinco gotas três vezes ao dia em meio copo de água antes das refeições.
Confrei
confrei
  • Parte usada: O rizoma de cor escura. Escolher as plantas que apresentam um ano e meio de vida e colhê-las no outono ou no início da primavera. Descartar as partes aéreas e os rizomas de cor branca.
  • Indicações: Úlcera gástrica e duodenal, gastrite, feridas, chagas, úlcera varicosa, eczemas, prurido vaginal, fissuras da mama e anal, bronquites, tosse de qualquer etiologia.
  • Posologia:
  1. Decocto: 5%: Coloque cinco grs. De rizoma em 100 ml de água. Ferver por 5 minutos. Deixe descansar por 15 minutos. Coe e tome uma xícara três vezes ao dia.
  2. Decocto 10%: Coloque 10 grs. De rizoma em 100 ml de água. Ferver por 5 minutos. Deixe descansar por 15 minutos. Coe e aplique em compressas nas partes afetadas. Pode também passar no couro cabeludo após o banho.
  3. Infuso: Coloque 50 grs. De rizoma de confrei, 50 grs. de fruto de quiabo verde, tudo cortado em pedaços bem pequenos, em 300 ml de água fervente. Deixe em maceração por uma noite. Filtre e use para higiene íntima e para banhar as partes afetadas.
  4. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De rizoma em 200 ml de álcool de cereal a 50°. Deixe macerar por 10 dias em lugar escuro. Coe num pano limpo espremendo o resíduo. Tome uma colher de café duas vezes ao dia, com um pouco de água.
  5. Vinho: Coloque 50 grs. De rizoma, cortados em pedaços bem pequenos, em 1 L. de vinho branco. Deixe em maceração por uma semana.  Coe num pano e esprema o resíduo. Tome um cálice duas a três vezes ao dia.
Dente de Leão
dente leão
  • Parte usada: Raiz, folha e capítulo floral. A raiz se colhe no outono. Lavar muito bem e secar no calor moderado. A folha pode ser colhida em qualquer época e o capítulo floral antes de abrir.
  • Indicações: Dispepsia da atonia gástrica e intestinal, anorexia, insuficiência hepática, icterícia, cálculo biliar, prisão de ventre, cistite, eczema, escorbuto (suco), hemorróidas, obesidade, reumatismo (chá), miocardite (raiz), depurativo do sangue, anemia, baço, deficiência circulatória.
  • Posologia:
  1. Decocto: Coloque 5 a 10 grs. De raiz, cortada em pedaços bem pequenos em uma xícara de chá de água. Deixe macerar durante a noite. No dia seguinte, ferver rapidamente. Coe e tome a metade ½ hora antes do0 desjejum e o restante ½ hora após.
  2. Decocto: Coloque 10 grs. Da raiz, cortada em pedaços bem pequenos, em uma xícara de chá de água, deixe ferver por 5 minutos. Coe e coloque um pouco de mel ou glicerina. Passar no rosto e nos olhos, com um chumaço de algodão em bebido no líquido.
  3. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De raiz em 100 ml de álcool de cereal a 75° Bata no liquidificador e deixe em repouso por três dias. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher de café num copo de água, duas a três vezes ao dia, antes das refeições.
  4. Vinho: 10%: Coloque 10 grs. De raiz cortada em pedaços bem pequenos em 100 ml de vinho licoroso. Deixe em repouso por 10 dias. Co e tome por copos de licor antes das principais refeições.
  5. Melito de flores: coloque 10 capítulos florais em uma xícara e ½ de chá de água e deixe ferver por 15 minutos. Coe num pano e esprema. Leve outra vez ao fogo para reduzir à metade. Acrescente igual porção de mel e use para passar no pão, às refeições.
  6. Salada: As raízes e as folhas novas podem ser comidas cruas em forma de salada.
Erva Doce – anis verde
erva doce
  • Parte usada: Sementes.
  • Indicações: Flatulência, vômitos, gastralgias, afecções brônquicas, nervosismo, aerofagia, contusão, dentes, espasmos, estômago, flebite, indigestão, lactação, meteorismo, soluço, tosse, vômito.
Erva-De-Santa-Maria
erva s maria
  • Partes usadas:sumidades floridas, folhas secas.
  • Indicação: Expectorante, cálculo das vias urinárias, febres, menstruação irregular, asma, parasitose, pulmão, facilita o parto.
Espinheira Santa
espinheira santa
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Dispepsias, gastrites, úlceras gástricas e duodenais, flatulências. Excelente preventivo de câncer se usado com moderação, isto é, longe das refeições, três vezes ao dia um pouco mais de ½ xícara por vez, lembrando a contra-indicação abaixo.
  • Posologia: Infusão a 2%: 10 grs. De folhas secas em ½ litro de água fervendo. Tomar 150 ml três vezes ao dia. OBS. Reduz a secreção láctea sendo contra-indicado então à mulheres que amamentam.
Eucalipto
  • Parte usada: Folhas adultas – junho a setembro.
  • Indicações: Asma, bronquite, rinite, sinusite, reumatismo, artrite, neuralgias, ciática, mosquitos, purifica o ambiente.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20grs. De folhas para 1 L. de água, adoçar com mel e tomar três xícaras por dia.
  2. Banhos e compressas: 100 grs. Para 1 L. de água.
Fucus
fucus
  • Partes usadas: Talo inteiro (todo o ano) secagem ao sol.
  • Indicações: Disfunções da Tireóide, obesidade, celulite, arteriosclerose, banho, bócio, obstipação, psoríase.
  • Posologia: 15 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras de chá ao dia.
Ginseng
ginseng
  • Parte usada: Toda a planta.
  • Indicações: Estômago, fígado, sistema nervoso, stress, impotência sexual.
  • Posologia: 20 grs. De raízes cortadas em pedacinhos, para 1 L. de água. Ferver por 3 minutos deixar repousar por 15 minutos e tomar duas xícaras diárias.
Goiabeira
  • Partes usadas: Casca do caule, folhas novas, fruto verde, fruto maduro, botão floral.
  • Indicações: Diarréia, indisposições gástricas, afecções da boca e garganta, lavagens vaginais, tratamentos de úlceras varicosas.
  • Posologia:
  1. Decocto: cinco grs. de casca de caule em 100 ml de água. Ferva por 5 minutos. Coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  2. Decocto: Coloque uma folha de goiabeira, 12 folha de abacateiro, uma folha de pitangueiro em 100 ml de água. Ferva por 5 minutos. Coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  3. Decocto: 30 grs. De casca de caule de goiabeira, 30grs. De rizoma de confrei em ½ litro de água. Ferva por 10 minutos. Coe e use para lavar feridas.
  4. Tintura: 20 grs. de casca de caule em 100 ml de álcool de cereal a 60°. Deixe em maceração por cinco dias. Coe e tome uma colher de café em um, pouco de água, três vezes ao dia.
  5. Vinho de flores: 50 grs. De flores em ½ litro de vinho branco. Deixe em maceração por uma semana. Coe e tome dois cálices ao dia.
Guaçatonga – Chá de bugre
guaçatonga
  • Parte usada: Folha.
  • Indicações: Elevar a imunidade, infecções generalizadas herpes, enfermidades venéreas e viróticas, gastrite, úlcera gástrica, cicatrizante de ferimentos e ulcerações, furúnculos plantares em diabéticos.
  • Posologia: Pode ser usado em forma de chá ou tinturas.
Guaco
guaco
  • Parte usada: Folha – pode ser coletada em qualquer época do ano, principalmente no início da floração. Secar ao sol e manter longe da umidade, fungos e insetos. Quando seca ela é fracamente aromática e possui sabor aromático amargo.
  • Indicação: Tosse de qualquer natureza, catarro bronquial, asma brônquica, estados gripais, reumatismo em geral.
  • Posologia:
  1. Infuso: Coloque uma folha cortada em pedaços pequenos em uma caneca de louça ou barro. Ferva uma xícara de chá de água e coloque por cima e abafe. Coe e tome uma xícara duas vezes ao dia.
  2. Decocto: uma folha de guaco, dois cm de raiz de confrei, cortada em pedaços bem pequenos em uma xícara de chá de água. Ferva por alguns minutos. Abafe, coe e tome uma xícara de chá duas vezes ao dia.
  3. Tintura: 10 folhas, cortadas em pedaços bem pequenos em 100 ml de álcool de cereais de 70°. Macere durante uma semana em lugar escuro. Coe e use uma colher de café duas a três vezes ao dia, com um pouco de água. Passe localmente nas juntas doloridas.
  4. Xarope: duas folhas de guaco, em pedaços pequenos, para ferver em uma xícara de chá de água durante 5 minutos. Coe e acrescente 65 grs. De açúcar cristal e novamente leve ao fogo. Filtre a quente e use uma colher de sopa três vezes ao dia.
  5. Elixir: 20 folhas frescas, em pedaços pequenos, em 600 ml de álcool de cereais a 50°. Deixe em maceração por oito dias. Coe num pano e acrescente 200 ml de água e 170 grs. De açúcar cristal . Deixe descansar pó um mês. Filtre e tome um cálice duas a três vezes ao dia.
  6. Vinho: 20 folhas frescas, em pedaços pequenos, em 500 ml de um vinho licoroso. Macere por 10 dias. Agitando de vez em quando. Filtre e tome um cálice duas a três vezes por dia.
Guaraná
guarana
  • Parte usada: Semente desprovida dos tegumentos. Coletar nos meses de janeiro e fevereiro. Reduzida a pó ou em pasta moldada na forma de bastões.
  • Indicações: Fadigas em geral, convalescença, diarréias, enxaquecas, astenia sexual.
  • Posologia:
  1. Pó: Raspe o bastão de guaraná com uma lima grossa e passe por uma peneira fina. Use uma colher de café em um pouco de leite duas a três vezes ao dia.
  2. Infuso 5%: cinco grs., duas colheres de café de pó, em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e acrescente ao pó. Coe e tome duas xícaras ao dia, adoçadas com mel.
  3. Tintura 20%: 20 grs., duas colheres de sopa de pó em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Deixe macerar por uma semana, em lugar escuro. Coe num pano limpo e esprema o resíduo. Tome uma colher de café duas a três vezes ao dia com um pouco de água.
  4. Elixir: Coloque dois fragmentos de baunilha ou canela em 200 ml de álcool de cereal. Ferva 500 ml de água e acrescente 50 grs. De guaraná em pó. Esfriar e acrescentar 500 grs. de açúcar e o álcool de baunilha ou canela. Deixe em repouso durante um mês. Coe e tome por copos duas vezes ao dia.
Hamamelis
amamelis
  • Partes usadas: Folhas e casca.
  • Indicações: Afecções do sistema venoso (varizes, flebites, hemorróidas, úlceras varicosas), hemorragias, veias.
Hortelã
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Má digestão, gazes, acidez, flatulências, cólicas estomacais, vertígios nervosos, coração, espasmos, para aumentar o leite, mau hálito.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Fomento: Para dores reumáticas, contusões e inchaços.
  3. Cataplasma misturado com azeite de oliva, para queimaduras e evita infartos.
Jaborandi
jaborandi
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Glaucoma, hidropisias renais, afecções catarrais das vias respiratórias, hiper-hidroses, tônico capilar, combate a alopecia e caspa.
Malva
malva
  • Partes usadas: Raiz, folhas, flores (antes da abertura), secagem ao ar e à sombra, conservação difícil, tornando-se azuis com a secagem e descorando por ação da luz.
  • Indicações: Afecções catarrais das vias respiratórias, bronquites, tosses, estados inflamatórios das vias digestivas, boca, gengiva, garganta, combate as afecções cutâneas.
  • Posologia:
  1. Cozimento: 20 grs. De folhas ou flores para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Raízes: 15 grs. Para 1 L. de água, ferver durante 10 minutos e deixar repousar. Tomar três xícaras diárias.
Mamão
  • Partes usadas: Fruta, flores e sementes.
  • Indicações: Debilidades do estômago, digestão lenta e difícil, diabetes, icterícia e asma. As sementes combatem vermes, tuberculose e câncer. As flores são expectorantes para tosse e catarro bronquial.
Manjerona – Orégano
manjerona
  • Partes usadas: Folhas e sumidades floridas.
  • Indicações: Mau hálito, cólicas flatulentas, indigestão, dispepsia, enfermidades do estômago, cefaléias, hemiplexia, neurose gástrica e vertigens, insônia, nervos e angústia depressiva.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia.
  2. Cataplasmas das folhas frescas para feridas, tumores, golpes, inchaços e dores reumáticas, e podem também ser feitos banhos.
Maracujá
  • Partes usadas: Folhas, frutos e flores.
  • Indicações: Esgotamento nervoso, cansaço cerebral, enfermidades do coração, melancolia, neuralgia, palpitações, stress, medo, perturbação, alcoolismo, angústia, enxaqueca, males do coração, cólica, espasmos, insônia.
  • Posologia: Suco, chá das folhas e flores.
Melissa – Erva cidreira
melissa
  • Parte usada: Folhas – secagem rápida, caule florido (junho).
  • Indicações: Acufenos, anemia, falta de apetite, asma, banho, estômago, fígado, auxilia na gravidez, mau hálito, indigestão, lipotimia, bom prá memória, picadas de insetos, pulmão, melhora o sono, vertigens.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras diárias.
  2. Cataplasmas para contusões, feridas, golpes.
  3. O uso em excesso se torna tóxico – cuidar com o excesso.
Milho
  • Parte usada: Cabelo de milho. Colher a droga assim que ela aparece na espiga, antes da fecundação. Secar em ambiente arejado e conservar em vaso de porcelana. É importante conservar a droga longe da umidade pois ela se degrada rapidamente.
  • Indicações: Litíase urinária, afecções das vias urinárias (cistite, nefrite, cistopielite), oligúria (diminuição do volume de urina, por insuficiência cardíaca), hidropisia, albuminúria, gota e reumatismo, obesidade, cicatrização de feridas, chagas.
  • Posologia:
  1. Infuso 10%: 10 grs. em uma xícara (100 ml) de água fervente. Deixe em repouso por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, três vezes ao dia.
  2. Decocto 5%: cinco grs. Em uma xícara de água. Ferva por 10 minutos. Deixe em repouso por 5 minutos. Coe e tome uma xícara por dose antes das principais refeições ou use para aplicar nas lesões.
  3. Tintura 20%: 20 grs. Em 100 ml de álcool de cereal 65°. Macerar por uma semana. Coe e esprema o resíduo. Tome uma colher de café em um pouco de água três vezes ao dia.
  4. Extrato mole: 100 grs. Em vasilha de aço inoxidável. Deite água fervente em quantidade suficiente para cobri-la. Deixe em infusão durante 2 horas. Coe e esprema o resíduo. Trate o resíduo do mesmo modo.  Reúna os dois infusos e evapore-os em banho-maria até reduzi-los a 40 grs. Após o resfriamento junte 30 ml de água destilada fria, deixe depositar, filtre e evapore até consistência de extrato mole. Dose: 10 a quatro grs. Por dia.
Pata De Vaca
pata de vaca
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Coadjuvante no tratamento da diabete Melitus tipo II, enfermidades renais, hipertensão arterial, obesidade.
  • Posologia:
  1. Infusão: uma gr. Da folha seca para 150 ml de água fervendo. Tomar três a quatro xícaras ao dia.
  2. Chá da raiz para prisão de ventre. 10 grs. Para 1 L de água.
Pepino
  • Parte usada: Fruto.
  • Indicações: Atenua pruridos, cicatrizante de feridas (usando a casca), ácido úrico, cálculos renais e vesiculares, hematismo, gota, inflamações do tubo digestivo e prisão de ventre.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas: Para impurezas da pele, espinhas, grãos e se recupera a beleza.
  2. Pepinos em conserva para os rins, coração e próstata.
Pfaffia
pfaffia
  • Parte usada: Raízes.
  • Indicações: Esgotamento, debilidade, irregularidades circulatórias, tônica, hidratante, nutritiva.
  • Posologia: Concentração do extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% extraídos.
Quilaia – Molina
quilaia
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Desengordurante do couro cabeludo nas seborréias, estimula o bulbo pilífero.
  • Posologia: Concentração extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Quina
quina
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Malária, febres, dispepsias, debilidade orgânica, paludismo.
  • Posologia: Concentração extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Sabugueiro
sabugueiro
  • Partes usadas: Flores, casca mediana do caule, folhas e frutos.
  • Indicações: Em todos os casos em que se queira fazer brotar o sarampo, provocar a transpiração, abaixar a febre e acalmar a tosse. Em todos os casos de retenção de líquidos no organismo, hidropisia, reumatismo e gota, tratamento de erupções cutâneas e erisipelas.
  • Posologia:
  1. Infuso 2%: duas grs. De flores secas em uma caneca de louça. Acrescente uma xícara de água fervente. Abafe por 5 minutos. Coe e tome ainda morno, uma xícara por dose, duas a três vezes ao dia.
  2. Decocto 5%: Coloque cinco grs. De flores secas em uma xícara de água. Deixe ferver por 5 minutos. Retire do fogo, abafe bem. Coe e adicione um pouco de mel. Use para fazer compressas ou cataplasmas.
  3. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De casca mediana do caule em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Macere durante 10 dias.  Filtre e tome uma colher de café com um pouco de água, três vezes ao dia.
  4. Vinho 10%: 10 grs. De casca mediana de caule em 100 ml de vinho branco. Deixe macerar por cinco dias. Filtre e tome por cálice duas a três vezes ao dia.
Sálvia
salvia
  • Partes usadas: Folhas e partes floridas. Coletar as folhas antes do aparecimento das flores. As flores devem ser colhidas quando estiverem bem abertas. Para fins culinários as folhas podem ser colhidas em qualquer época.
  • Indicações: Amenorréia e dismenorréia, sudorese noturna dos convalescentes e tuberculosos, diabetes, sudorese excessiva das mãos e axilas, esterilidade e menopausa, astenia, dispepsia por atonia gastrintestinal.
  • Posologia:
  1. Infuso 2,5%: 2,5 ou cinco grs. Em uma xícara de água fervente. Abafe e deixe em repouso por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, após as refeições.
  2. Decocto 10%: Ferva, por 10 minutos 100 grs. De folhas em 1 L. de água. Coe e use para banhar os pés, enquanto estiver morno.
  3. Decocto 10%: Coloque 10 grs. De folhas em um copo de água para ferver durante 10 minutos. Coe e faça bochecho durante o dia.
  4. Tintura 20%: 20 grs. De folhas em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Deixe em repouso por uma semana. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher de café três vezes ao dia com um pouco de água.
  5. Vinho 20%: 20 grs. De folhas em ½ litro de vinho branco. Macere por uma semana. Coe e tome um cálice três vezes ao dia, de preferência uma semana antes da menstruação.
  6. Vinagre medicinal: Coloque folhas de sálvia em um vidro e cubra com vinagre branco. Macere durante 15 dias, em lugar quente ou ao sol. Coe e esprema o resíduo. Use para fazer massagens suaves.
Sene
sene
  • Parte usada: Folíolos. No fim do verão colhem-se os ramos, que se deixam secar ao sol. Separam-se das vagens.
  • Indicação: Constipação, prisão de ventre, intestino preguiçoso, indigestão, reduzir peso.
  • Posologia: Cozimento: 10 grs. Para 1 L de água. Tomar duas xícaras por dia.
  • Contra-indicação: Não é recomendado durante o período menstrual, gravidez nem a pessoas que sofrem de inflamação do tubo digestivo.
Tamarindo
tamarindo
  • Parte usada: Polpa do fruto maduro.
  • Indicações: Prisão de ventre, sobretudo infantil, refrescante intestinal, corretivo do sabor (edulcorante), cicatrizante externo (folha).
  • Posologia:
  1. Conserva: Coloque 50 grs. De polpa em 50 ml de água destilada. Amoleça em fogo brando. Coe e acrescente 125 grs. De açúcar. Evapore até consistência conveniente.
  2. Laxante suave: Coloque 40 a 60 grs. De polpa em um pouco de água fervente. Tome um copo à noite ao deitar, longe do deitar. Para crianças use duas grs. Por ano de idade.
  3. Decocção: Coloque uma colher de sopa de folhas em uma xícara de chá de água. Ferva por 5 minutos. Coe e use para lavar feridas.
Urtiga – urttigão, urtiga-maior, urtiga-mansa
  • Parte usada: Planta jovem, folhas (todo o ano), rizoma e raízes (outono), secagem à sombra, os pelos secos não são picantes.
  • Indicações: Hemorragias, metrorragias, hidropisia, anemia, reumatismo, lumbago, gota, urticária, afecções cutâneas, ciática, afta, cabelo, diabete, diarréia, edema, enurese, epistaxe, leucorréia, menopausa, pele, picadas e psoríase.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20 grs. De folhas ou rizoma para 1 L de água. Ferver durante 5 minutos e deixar repousar. Tomar três xícaras diárias.
  2. Urtigadura

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs